22 Nov, 2018

Mais de 8.300 médicos começam hoje a deixar o Brasil

O Governo de Cuba começa esta quinta-feira a repatriar os 8.332 médicos cubanos que estavam em serviço no Brasil, prestando cuidados de saúde nos municípios mais pobres do país, na sequência do abandono do programa 'Mais Médicos'.

Os primeiros cinco voos para Havana, capital cubana, estão agendados para quinta-feira, sexta-feira e sábado, de acordo com um comunicado divulgado hoje no Brasil pela Organização Pan-americana da Saúde (OPAS), que intermediou a contratação dos profissionais de saúde.

“Alguns dos profissionais do programa de cooperação internacional já começaram a deixar os municípios para os quais foram designados, rumo aos polos de saída dos voos”, segundo a OPAS.

O voos com destino a Cuba partem das cidades de São Paulo, Brasília, Manaus e Salvador.

Segundo a organização multilateral, a previsão é de que os 8.332 médicos cubanos que atualmente estão no Brasil deixem o país até ao próximo dia 12 de dezembro.

O Governo brasileiro alertou, na segunda-feira, que toda a logística e transporte de médicos terá de ser organizada e custeada por Cuba, porque foi o país que rescindiu unilateralmente o contrato que tinha com o Brasil desde 2013.

Cuba anunciou na semana passada a sua decisão de abandonar o programa ‘Mais Médicos’ em resposta às declarações do Presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro, que considerou os médicos cubanos “escravos” de uma “ditadura”.

Segundo os acordos entre Brasil, Cuba e a OPAS, os médicos cubanos recebiam 30% de seu salário no Brasil e o valor restante era destinado ao governo de Havana, o que Bolsonaro considerou “inaceitável”.

O político, de extrema-direita, questionou também o facto de o Governo cubano proibir a saída dos familiares dos médicos do seu país, e acrescentou que os profissionais de saúde provenientes de Cuba não foram submetidos a exames de revalidação de seus títulos no Brasil, como todos os outros profissionais estrangeiros.

Bolsonaro afirmou que o governo brasileiro irá conceder asilo aos médicos cubanos que queiram permanecer no Brasil.

O Ministério da Saúde do Brasil abriu hoje o período de inscrições para um concurso que pretende substituir os cubanos por médicos brasileiros e em poucas horas recebeu cerca de 3.000 inscrições.

O programa ‘Mais Médicos’ foi criado em 2013 pela então Presidente brasileira, Dilma Rousseff, a fim de garantir cuidados de saúde nas regiões mais remotas e pobres do Brasil, devido ao facto de os profissionais de saúde brasileiros preferirem exercer medicina nas grandes cidades do país.

LUSA

ler mais

RECENTES

ler mais