4 Mai, 2017

Mais de 153 mil rastreios de saúde gratuitos efetuados pela Universidade Fernando Pessoa

O Projeto Ambulatório de Saúde Oral e Pública da Universidade Fernando Pessoa (PASOP/UFP), do Porto, já efetuou cerca de 153 mil rastreios de saúde pública pelo país e está a celebrar este ano o seu 15º aniversário

Este é um “projeto de solidariedade social e pedagógico”, no qual os alunos finalistas da Universidade Fernando Pessoa (UFP), acompanhados por professores, “percorrem o país realizando rastreios ao nível do colesterol, da diabetes, da tensão arterial, da saúde oral e da osteoporose”, disse à Lusa o gestor do projeto, Jacinto Durães.

Segundo o responsável, o  Projeto Ambulatório de Saúde Oral e Pública (PASOP), que presta também serviços de saúde pública nas áreas da nutrição, da fisioterapia e da terapia da fala, vai introduzir nos rastreios, no próximo ano letivo, a valência de psicologia.

A atividade da clínica ambulatória móvel, equipada com o material necessário para fazer rastreios, realiza-se às terças e quintas-feiras, iniciando em outubro e finalizando em julho, o que cobre, dessa forma, os dois semestres letivos.

Para além dos rastreios que efetua nas ruas, o projeto tem protocolos com câmaras, escolas, juntas de freguesia, instituições de solidariedade social, lares, empresas e outras entidades, como a RunPorto, com à qual colabora aos fins de semana.

Os resultados obtidos pelo PASOP são encaminhados para instituições com as quais o projeto tem parceria, que fazem o tratamento e encaminhamento dessa informação, dando-lhes depois um feedback sobre a situação dos pacientes com patologias diagnosticadas durante os rastreios.

Para Jacinto Durães, o que torna este projeto tão relevante, para além da forte vertente pedagógica, é a possibilidade de se realizarem diagnósticos precoces, o que considera “importantíssimo”.

Como exemplo, o responsável recorda um caso que ocorreu antes do jogo da Dinamarca com a Holanda, em Guimarães, durante o Euro 2004, em que tiveram que encaminhar para o hospital um indivíduo que fez o rastreio e apresentou valores elevados ao nível da tensão, do colesterol e da glicemia.

Outra situação “marcante” e que “mostra a importância do diagnóstico precoce” ocorreu com um indivíduo a quem foi efetuado um rastreio em Ramalde, no Porto, d