23 Mai, 2017

Maior parte dos hospitais portugueses classificados com excelência clínica

Dos 160 hospitais em Portugal, 126 (79%) obtiveram classificação de excelência clínica e, destes, 112 conseguiram a atribuição da estrela correspondente ao primeiro nível de avaliação da Entidade Reguladora da Saúde (ERS)

Os resultados do Sistema Nacional de Avaliação em Saúde (SINAS), referentes à primeira avaliação deste ano relativos à dimensão excelência clínica, revelaram que, dos 160 estabelecimentos atualmente abrangidos pelo SINAS@Hospitais, 126 obtiveram classificação de excelência, dos quais 112 conseguiram a atribuição da estrela correspondente ao primeiro nível de avaliação.

No âmbito dimensão excelência clínica são avaliadas as áreas de angiologia e cirurgia vascular, cardiologia, cirurgia de ambulatório, cirurgia cardíaca, cirurgia geral, cuidados intensivos, cuidados transversais, ginecologia, neurologia, obstetrícia, ortopedia e pediatria.

No que diz respeito ao segundo nível de avaliação, a ERS refere que, de um modo geral, se verificou que a melhoria nos valores médios dos indicadores avaliados, a que corresponde uma melhoria do cumprimento de indicadores de processo associados a diferentes áreas cirúrgicas: ginecologia, cirurgia do cólon e cirurgia vascular, nomeadamente nos relacionados com a seleção, administração e interrupção antibioterapia profilática.

Melhoraram também os valores médios de alguns indicadores de processos das seguintes áreas: pediatria (pneumonias), neurologia (relativos ao acidente vascular cerebral), cirurgia de ambulatório, cardiologia (enfarte agudo do miocárdio), unidade de cuidados intensivos e cuidados transversais e tromboembolismo venoso no internamento.

O SINAS consiste num sistema de avaliação da qualidade global dos estabelecimentos que prestam cuidados de saúde, desenvolvido pela ERS. Ao longo dos tempos, o regulador refere que se tem registado “um aumento gradual do desempenho médio em indicadores de processo, alguns dos quais com patamares de cumprimento entre os 90% e os 100% em diferentes áreas como a ortopedia, a ginecologia, a cirurgia do cólon, a cirurgia de revascularização do miocárdio e a cirurgia cardíaca, a cirurgia de ambulatório, o enfarte agudo do miocárdio, o acidente vascular cerebral, a obstetrícia e a unidade de cuidados intensivos”.

LUSA/SO/SF

 

Gedeon Richter

 

 

ler mais

RECENTES

ler mais