14 Mai, 2024

Hospital de Ponta Delgada retoma tratamentos a alguns doentes oncológicos

O Hospital do Divino Espírito Santo (HDES), em Ponta Delgada, nos Açores, atingido por um incêndio, já iniciou tratamentos a alguns doentes da unidade de Oncologia e do serviço de Hematoncologia, confirmou à agência Lusa fonte hospitalar.

“Começaram tratamentos a alguns doentes de Oncologia e Hematoncologia. Será de forma faseada e os doentes serão contactados pelos respetivos serviços”, adiantou uma fonte do serviço de comunicação da maior unidade de saúde dos Açores.

Posteriormente a este contacto, o HDES adiantou, em comunicado, que “foi já possível a 26 doentes oncológicos retomar os seus tratamentos nas instalações do hospital”. “O hospital espera conseguir continuar a repor o funcionamento da unidade de forma faseada e progressiva”, lê-se na nota.

Ainda de acordo com o HDES, neste momento, todos os utentes que tinham sido transferidos para o centro de Saúde de Ponta Delgada estão agora no “Posto Médico Avançado, instalado no Pavilhão Carlos Silveira” , onde receberão “todos os cuidados necessários em enfermarias, orientados por indicação médica, mantendo todos os padrões de segurança e cuidados que se impõem.

A restante atividade clínica nas instalações no Hospital de Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, mantém-se suspensa, devido ao incêndio que ocorreu há cerca de uma semana. O incêndio no hospital de Ponta Delgada, que deflagrou pelas 9h40 locais de 4 de maio (10h40 em Lisboa) e só foi declarado extinto às 16h11, obrigou à transferência de todos os doentes que estavam internados para vários locais dos Açores, Madeira e continente.

Na altura do incêndio estavam no estabelecimento de saúde 333 doentes e foi necessário transferir 240. O Governo dos Açores declarou no dia seguinte a situação de calamidade pública para “acelerar procedimentos” que permitam normalizar, num “curto espaço de tempo”, a atividade da maior unidade de saúde açoriana.

A direção clínica anunciou na quarta-feira que o hospital vai ser reativado “lentamente”. Não foi ainda divulgada uma contabilização dos estragos do fogo.

Entretanto, o PS/Açores, que tinha pedido a audição no parlamento regional da secretária regional da Saúde, Mónica Seidi, adiantou na segunda-feira que a Comissão de Assuntos Sociais da Assembleia Legislativa aprovou a proposta socialista.

O PS/Açores justificou a proposta com a necessidade de “compreender e obter esclarecimentos sobre o plano de trabalhos de normalização da prestação de cuidados de Saúde na região”, mas também “conhecer a calendarização do Governo Regional (PSD/CDS-PP/PPM) para a retoma da atividade do HDES”, segundo refere o deputado socialista José Miguel Toste, citado numa nota de imprensa.

O parlamentar socialista alerta que o incêndio no HDES “debilitou o Serviço Regional de Saúde”, uma vez que a maior unidade hospitalar da região “não serve apenas a ilha de São Miguel”, mas “todos os açorianos que necessitem de consultas de especialidade e, eventualmente, de cirurgias de maior complexidade”.

A proposta de audição da secretária Regional da Saúde e Solidariedade Social na Comissão de Assuntos Sociais “foi aprovada por maioria, contando apenas com o voto contra do Chega”, lê-se ainda na nota.

 

LUSA

Notícia relacionada

Ordem dos Médicos quer apoio do Governo da República na recuperação do hospital de Ponta Delgada

Print Friendly, PDF & Email
ler mais
Print Friendly, PDF & Email
ler mais