13 Mar, 2019

Hospital de Évora prevê reabrir hoje unidade de cuidados intensivos

A Unidade, onde foram detetadas “estirpes de bactérias multirresistentes”, vai ser descontaminada esta quarta-feira, com a administração hospitalar a prever a reabertura do serviço “no próprio dia”.

Em comunicado, o conselho de administração do Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE) indicou ter decidido “realizar uma descontaminação da Unidade de Cuidados Intensivos Polivalente, após terem sido isoladas estirpes de bactérias multirresistentes, habituais em ambiente hospitalar”.

“Na sequência dessa decisão e após desocupação” do serviço, na quarta-feira, a unidade de cuidados intensivos “será descontaminada, retornando à sua atividade normal no próprio dia”, referiu o HESE.

Segundo a administração da unidade hospitalar, “este procedimento é habitual nos hospitais, sempre que tal se justifica”.

Contactado pela Lusa, Celso Silva, dirigente no Alentejo do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) revelou que, das informações que recolheu, a bactéria detetada foi “a KPC (Klebsiella Pneumoniae Carbapenemase), que é comum surgir em unidades de cuidados intensivos”.

“É uma bactéria resistente à maioria dos antibióticos, como existem outras, e que se desenvolve nestes meios, onde há muitos aparelhos e doentes ventilados e se utilizam, porque é mesmo necessário, muitos antibióticos”, referiu o dirigente sindical.

Segundo Celso Silva, trata-se, por isso, de “uma bactéria comum” e, apesar de se tratar de “uma situação grave, a única solução é descontaminar o serviço, com recurso a produtos específicos”. O sindicalista adiantou que, dos dados que recolheu, “só havia um doente internado na Unidade de Cuidados Intensivos” Polivalente do HESE, o qual “vai ser transferido para o internamento normal porque está em condições disso”.

“Do que s