20 Out, 2021

Hospital de Castelo Branco perdeu médicos e está “para além da rutura”

Alerta é feito pelo Sindicato Independente dos Médicos, que aponta carências em vários serviços.

Foto: Jornal Reconquista

O Sindicato Independente dos Médicos (SIM) garante que o Hospital Amato Lusitano, em Castelo Branco, está para “além da rutura”, uma vez que mantém vários serviços em funcionamento “à custa de prestadores externos”.

Segundo o SIM, o recurso a estas empresas de prestação de serviços deve-se à falta de médicos no hospital, que tem perdido vários profissionais ao longo dos últimos meses.

Em comunicado, o sindicato liderado por Jorge Roque da Cunha dá o exemplo do serviço de urgência de Pediatria, que, para além da falta de pediatras, funciona numa estrutura provisória (contentores pré-fabricados), “sendo incerto quais as futuras instalações e quando estarão disponíveis”.

Já a urgência de Ginecologia/ Obstetrícia é assegurada por médicos prestadores de serviço, já que o hospital apenas tem dois especialistas (um com 63 anos). No que diz respeito à urgência geral, o SIM adianta que o chefe de Equipa está ausente desde janeiro, sendo as escalas de medicina interna e anestesiologia asseguradas “quase exclusivamente por tarefeiros”.

SO

ler mais

RECENTES

ler mais