11 Fev, 2022

ERS remete para ordens profissionais processo de doente que morreu em Chaves

O caso remonta a outubro de 2019 quando a família de uma mulher de 43 anos que morreu na unidade do CHTMAD acusou a instituição de “abandono e negligência”.

A Entidade Reguladora da Saúde (ERS) remeteu para as Ordens dos Médicos (OM) e dos Enfermeiros (OE) o processo de uma doente que morreu em 2019, no hospital de Chaves, depois de dúvidas levantadas sobre a administração de medicamentos.

No documento publicado online no site oficial da ERS, a entidade acrescentou ainda que a deliberação deverá “ser levada ao conhecimento do Ministério Público”, emitindo uma instrução ao Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD) para que assegure procedimentos que “garantam que os registos clínicos dos utentes sejam fiáveis e reproduzam a real situação clínica, bem como os cuidados efetivamente prestados”.

O caso remonta a outubro de 2019, quando a família de uma mulher de 43 anos, que sofria de epilepsia e que morreu na unidade de Chaves do Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD), acusou a instituição de “abandono e negligência”.

Na altura o centro hospitalar anunciou a abertura de um processo, que foi arquivado “por não ter resultado indiciada a violação dos deveres profissionais por parte dos trabalhadores do CHTMAD, não havendo, por isso, lugar a procedimento disciplinar”.

A mulher foi internada a 19 e 21 de outubro e acabou por morrer no hospital e, segundo disse a sua família, na altura, as circunstâncias da morte não foram claras, tendo-se sentido mal na casa de banho e morrido pouco depois, após manobras de reanimação.

LUSA

ler mais

RECENTES

ler mais