Entrevista. 22º Congresso de Obstetrícia e Ginecologia será um “momento único de atualização científica”

Ao SaúdeOnline, o presidente da FSPOG, Diogo Ayres-de-Campos faz uma antevisão do próximo congresso de Obstetrícia e Ginecologia e destaca o entusiasmo com o regresso ao formato presencial.

O 22º Congresso de Obstetrícia e Ginecologia dividiu-se em duas partes: a 1ª ocorreu entre a semana de 8-12 de fevereiro, em formato online, e a segunda vai realizar-se nos dias 8 e 9 de novembro no Centro de Congressos da Alfândega do Porto.

Em que consistiu a 1ª parte do Congresso? Qual foi a adesão?

A primeira parte do congresso decorreu sob a forma de cinco webinars diários que tiveram lugar ao final da tarde, com uma duração de 2,5 horas, e cujos programas foram organizados pelas sociedades científicas afiliadas na Federação de Sociedades Portuguesas de Obstetrícia e Ginecologia (FSPOG). Teve uma participação muito elevada, quer de pessoas presentes online no webinar, quer de pessoas que mais tarde visualizaram as sessões. Na altura, estávamos no pico da quarta vaga da pandemia, não havia qualquer possibilidade de se organizarem reuniões presenciais, e o interesse foi muito elevado, também porque não havia ainda o cansaço que sentimos agora com a participação em reuniões online.

Tendo em consideração que a 2ª parte do Congresso não vai ser em formato digital, quais são as suas expetativas para o regresso ao presencial?

A segunda parte do congresso decorre em formato totalmente presencial e essa foi uma opção clara da Direção da FSPOG. Achamos que já existem condições para que isso aconteça com segurança, e notamos um grande entusiasmo, quer por parte dos participantes, quer por parte da indústria farmacêutica, para que se desse este regresso à normalidade. As pessoas sentem atualmente muita vontade de se voltarem a ver em reuniões científicas e de interagirem com outros colegas. Foram muito meses de isolamento e de grande interferência com os hábitos pessoais e profissionais de cada um de nós.

Quais são os principais objetivos deste Congresso?

Esta é a reunião magna da Obstetrícia e Ginecologia nacional, onde se juntam os médicos de todas as áreas da especialidade. É um momento único de atualização científica, mas também de partilha de experiências e de convívio interpares.

Quais são os temas em destaque desta 2ª parte?

É difícil destacar temas específicos num congresso que conta com 14 sessões plenárias, duas conferências, quatro simpósios satélite, duas sessões de comunicações livres e duas sessões de discussão de pósteres. Mas talvez possa chamar a atenção para as sessões sobre contraceção em casos difíceis, defeitos da cicatriz de cesariana, utilização de robótica em Ginecologia, criopreservação de ovócitos, morbilidade e mortalidade materna e endoscopia ginecológica.

Porque é pertinente a realização de congressos na área da Obstetrícia e Ginecologia?

A Obstetrícia e Ginecologia é uma área muito vasta, que aborda muitos temas relacionados com a saúde da mulher. É uma área onde tem havido grandes progressos científicos, sobre os quais necessitamos de nos manter atualizados e saber até que ponto devem condicionar alterações na nossa conduta clínica. Os congressos científicos são um momento importante de partilha dessas informações e de reflexão sobre como deverá ser a nossa atividade clínica e científica futura.

SO

ler mais

RECENTES

ler mais