13 Abr, 2017

Em 2016 o número de mortes por eutanásia na Holanda aumentou 10%

De acordo com o relatório anual das comissões regionais para a eutanásia, 87% das mortes assistidas envolveram doentes com cancro, com problemas graves de coração ou pulmões e com patologias do sistema nervoso

No ano passado, o número de mortes por eutanásia aumentou 10% na Holanda, para um total de 6.091 casos, o que representa 4% dos óbitos no país, segundo um relatório oficial hoje divulgado.

De acordo com o relatório anual das comissões regionais para a eutanásia, 87% das mortes assistidas envolveram doentes com cancro, com problemas graves de coração ou pulmões e com patologias do sistema nervoso.

Em 32 casos, a eutanásia foi praticada a pessoas que sofriam de demência, a maioria em fase inicial da doença, e em 60 situações a morte assistida implicou pessoas com graves problemas psiquiátricos.

A eutanásia foi realizada maioritariamente pelo médico do doente, em casa.

No relatório também são referidos alguns incumprimentos das normas que regulamentam a eutanásia, sendo referido dez casos que não cumpriram corretamente as normas.

A eutanásia é permitida na Holanda sob determinadas condições, como quando o doente tem dores insuportáveis e o médico está consciente de que o paciente tomou uma decisão devidamente informado.

Desde que a lei sobre a eutanásia entrou em vigor, em 2002, surgiram casos que suscitaram controvérsia, como os de um alcoólico grave ou de uma pessoa que tinha a perceção de zumbidos ou ruídos sem haver uma fonte de som externa.

LUSA/SO/CS

 

ler mais

RECENTES

ler mais