27 Jul, 2021

Dívidas do Serviço Nacional de Saúde estão a crescer e défice é significativo

Dívidas vencidas do SNS cresceram 4 milhões de euros por dia durante o último mês. Défice atinge 200 milhões de euros em seis meses.

As dívidas do Serviço Nacional de Saúde (SNS) estão a crescer a um ritmo de 4 milhões de euros por dia. Só durante o mês de junho, estas cresceram 119,5 milhões de euros e ascenderam a 605,4 milhões de euros segundo a execução orçamental revelada.

De acordo com o comunicado enviado pelo Conselho Estratégico Nacional de Saúde (CENS), “os pagamentos em atraso são uma das deficiências estruturais do nosso país e que afeta de modo muito especial a saúde sendo que a situação é particularmente grave quando a economia se ressente dos efeitos recessivos da covid-19”.

Segundo acrescentam, “a execução orçamental do SNS relativa ao primeiro semestre aponta para um aumento da despesa corrente de 9,5% face ao período homólogo”, a qual foi impulsionada pelo “aumento das despesas com pessoal”, associadas a novas contratações, e “ao aumento dos encargos com suplementos remuneratórios, em especial com trabalho extraordinário realizado no âmbito do combate” à pandemia.

Neste contexto, o CENS revela que “o défice do SNS até junho cifrou-se em 200,2 milhões de euros”. “A execução financeira do SNS está a ser feita à custa do investimento pois num semestre não se realizou sequer 30% do orçamento, com uma quebra de 26% face ao mesmo período de 2020”.

Perante estes dados, o conselho sublinha um apelo “para que se equacione a apresentação de um Orçamento Suplementar para 2021 onde estejam devidamente contempladas as reais necessidades correntes do SNS, o cumprimento atempado dos compromissos financeiros e um plano para recuperar a atividade assistencial e reduzir as listas de espera”.

SO

ler mais

RECENTES

ler mais