18 Mai, 2017

Dia Mundial do Médico de Família 2017 dedicado ao sedentarismo e à depressão

O Dia Mundial do Médico de Família comemora-se a 19 de maio, e a Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF), pretende em parceria com os médicos de família e os internos da especialidade celebrar a data e despertar consciências tendo como tema, este ano, o sedentarismo e a depressão

Com o objetivo de salientar o papel do médico de família na gestão de problemas de saúde, estão a ser submetidas inscrições numa plataforma criada pela Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF) para coordenar as atividades realizadas pelos grupos de profissionais de todo o país.

“Vencer o Sedentarismo… Adeus Depressão” é o mote deste dia mundial, um desafio duplo, que já tem vindo a ser debatido, como é o caso da depressão, tema em destaque no Dia Mundial da Saúde.

Até o momento, de acordo com a associação, já se inscreveram mais de 30 grupos de profissionais dos Centros de Serviços Partilhados (CSP), em todo o país, sendo que após a inscrição, os coordenadores de cada grupo recebem todo o material alusivo às comemorações, tais como: t-shirts, balões, bonés, autocolantes, etc.

Os grupos podem participar em várias atividades, como palestras, ateliers de pinturas/artes/ trabalhos manuais, clubes de leitura, aulas ao ar livre, práticas desportivas, entre outros, sempre com o objetivo de combater o sedentarismo e a depressão.

Madeira no centro das comemorações

O programa para o dia ainda está a ser delineado, mas confirma-se que as cerimónias oficiais serão realizadas na Madeira.

No dia 19 de maio, pelas 18 horas será realizada uma sessão solene no Auditório da Reitoria da Universidade da Madeira, para a qual todos os médicos de família estão convidados.

A sessão conta com a presença de Rui Nogueira, presidente da APMGF, o presidente da Câmara Municipal do Funchal, Paulo Cafôfo e o secretário Regional da Saúde, Pedro Ramos.

O sedentarismo é um problema de saúde pública em Portugal, e um dos maiores fatores de risco no desenvolvimento de doenças cardíacas.

De acordo com um estudo realizado pela Fundação Portuguesa de Cardiologia, “Os Portugueses e o Sedentarismo”, cerca de 64% das pessoas entrevistadas não praticam mais do que uma hora de exercício físico por semana e as mulheres mostram ser mais sedentárias que os homens.

A tendência é de um aumento dos hábitos sedentários com o avançar da idade, sendo que 54% dos inquiridos passa menos de cinco horas sentado por dia e cerca de 30% passa entre cinco a dez horas sentado.

 

[button link=”www.apmgf.pt” color=”silver” newwindow=”yes”] Saiba mais aqui…[/button]

APMGF/SO/CS

ler mais

RECENTES

ler mais