1 Out, 2018

Depois de uma vaga de demissões, Hospital de Aveiro está a trabalhar em regulamento interno para Urgências

O Centro Hospitalar do Baixo Vouga, em Aveiro, está a trabalhar na criação de um regulamento interno no Serviço de Urgência desta unidade hospitalar, disse o deputado do Bloco de Esquerda Moisés Ferreira, após reunião com a administração.

“A administração [do Centro Hospitalar do Baixo Vouga (CHBV)] disse que está trabalhar na implementação de procedimentos para garantir que a estadia no Serviço de Observação [SO] não ultrapasse as 24 horas, e (…) a implementar um regulamento interno das urgências”, disse à Lusa o deputado bloquista, que se reuniu na manhã de sábado com a administração daquele hospital, para se inteirar dos recentes problemas ocorridos com a demissão da responsável pelas urgências.

A diretora do Serviço de Urgência do CHBV, Elsa Rocha, apresentou a sua demissão ao conselho de administração do CHBV no início deste mês de setembro e, posteriormente, 40 outros médicos da urgência, que representam cerca de 70% dos atendimentos deste serviço, solidarizaram-se com aquela responsável.

Inicialmente, a diretora avisou que estaria em funções até ao dia 10 de setembro, mas, após uma reunião com a administração do CHBV, “aceitou ficar em funções interinamente até 13 de outubro”, disse na altura à agência Lusa fonte hospitalar.

Fonte do gabinete de imprensa da unidade hospitalar, contactada esta manhã pela Lusa, reiterou que, na base da demissão da diretora da Urgência, estão “razões meramente organizativas”, que em nada colidem com a linha de pensamento e ação da administração, e afirmam que é uma “situação a ser ultrapassada”.

“A criação de regulamentação do Serviço de Urgência será, muito brevemente, colocada para análise e discussão aos diferentes interlocutores do Serviço de Urgência”, avançou à Lusa a mesma fonte hospitalar.

Após a reunião com a administração, e depois da visita ao CHBV desta manhã, o deputado do Bloco de Esquerda (BE) Moisés Ferreira referiu ainda que é “fundamental resolver o aumento de capacidade de internamento para que as urgências não sirvam de internamento”.

O pedido de demissão da diretora do Serviço de Urgências vai continuar a ser tratado na Assembleia da República, porque tanto a diretora demissionária, como o conselho de administração do CHBV foram chamados à Comissão de Saúde do parlamento.

O BE solicitou uma audição urgente no parlamento do Conselho de Administração do CHBV e da diretora demissionária do Serviço de Urgência, a 17 de setembro.

“É preciso perceber quais são as reais condições na Urgência deste centro hospitalar, em particular na Urgência Médico-Cirúrgica do Hospital de Aveiro, e quais as medidas reivindicadas pelos profissionais de saúde, de forma a melhorar o atendimento aos utentes”, justificou o BE.

Os deputados do PSD eleitos pelo círculo de Aveiro questionaram também o Governo, nos últimos dias, sobre a “falta de condições” no Hospital de Aveiro, realçando que a situação poderia “acarretar graves consequências” para a população servida pelo CHBV, se a referida falta de meios não fosse rapidamente ultrapassada.

LUSA

ler mais

RECENTES

ler mais