5 Abr, 2021

Covid-19. 14% dos infetados mantêm sintomas três meses depois

Resultados do estudo são “inquietantes” feito no Reino Unido são "inquietantes", diz o ministro da Saúde britânico.

Uma em cada sete pessoas infetadas com covid-19 no Reino Unido ainda manifesta sintomas da infeção três meses depois, incluindo cansaço e dores musculares, segundo dados oficiais.

Os dados sobre o fenómeno, já designado por “covid longo”, resultam de um estudo do Gabinete Nacional de Estatísticas britânico (ONS, na sigla em inglês), abrangendo 20 mil infetados com covid-19 entre 26 de abril de 2020 e 6 de março de 2021.

Segundo o ONS, 13,7 por cento dos infetados apresentaram, 12 semanas depois da infeção, sintomas como dores musculares e cansaço.

Enquanto 14,7 por cento das mulheres manifestaram sintomas prolongados, a percentagem entre homens era inferior, 12,7%. Por grupo etário, a maior percentagem de “covid longo” registou-se na faixa 25-34 anos (18,2%).

Matt Hancock, ministro da Saúde britânico, afirmou à Sky News que os resultados do estudo são “inquietantes” e que o Governo irá futuramente financiar mais pesquisas para “compreender o covid longo”.

A pandemia de covid-19 fez cerca de 127 mil mortos no Reino Unido.

Atualmente, o país é um dos líderes mundiais na vacinação, tendo aplicado já 31 milhões de primeiras doses e 4,5 milhões de segundas doses, desde o início da campanha em dezembro de 2020.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.816.908 mortos no mundo, resultantes de mais de 128,8 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

LUSA

Notícias Relacionadas

ler mais

RECENTES

ler mais