3 Fev, 2022

Como melhorar a qualidade de vida e prognóstico das pessoas com cancro?

O elevado risco de malnutrição nas pessoas com cancro sublinha a necessidade da adoção de hábitos alimentares específicos e da prática de atividade física.

As pessoas diagnosticadas com cancro apresentam um elevado risco de malnutrição, o que pode prejudicar os resultados dos seus tratamentos. Assim, uma alimentação que inclui vitaminas e proteínas e a adoção de um estilo de vida ativo podem melhor a qualidade de vida destas pessoas, afirma a especialista em nutrição, Elsa Madureira.

“Uma ingestão adequada em energia e proteínas em associação à prática de exercício adaptado permitem ao doente tolerar melhor os efeitos secundários dos tratamentos”, explica a também moderadora da 2ª edição do Symposium ONCOFIT “From Sports Lab to Cancer Clinic” que vai decorrer nos dias 18 e 19 de março no Centro de Reabilitação do Norte – Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho.

Segundo esclarece Elsa Madureira, “tanto por efeito do cancro como dos tratamentos, dão-se alterações na composição corporal, nomeadamente uma diminuição (depleção) da massa muscular, bem como alterações na capacidade do doente de se alimentar ou aproveitar os nutrientes”.

Tendo isto em consideração, uma alimentação inadequada e pobre pode promover o aumento dos níveis de toxicidade no organismo. “Daí ser necessária uma intervenção nutricional individualizada e, em algumas situações, ser recomendada a suplementação de alguns nutrientes. É o caso das proteínas, dos ácidos gordos ómega-3 e da vitamina D que ajudam a melhorar a saúde muscular nos doentes que perderam massa muscular”, sustenta.

Para obter o melhor prognóstico, “é necessária a associação de uma alimentação adequada à prática de exercício físico orientado. Esta intervenção deve ser o mais precoce possível, se possível ainda antes do início dos tratamentos, mas durante os mesmos é igualmente importante e eficaz”, diz a especialista em nutrição.

ler mais

RECENTES

ler mais