9 Mai, 2019

CH de Lisboa Norte recupera capacidade de formar pneumologistas

Ordem dos Médicos devolve estatuto de formador aos Hospitais de Santa Maria e Pulido Valente depois de há um ano lhe ter sido retirada a formação nesta área.

Segundo um documento enviado ao CHULN, que integra os hospitais Pulido Valente e Santa Maria, a Ordem dos Médicos (OM) dá “apreciação favorável ao restabelecimento do processo normal da formação da especialidade” de pneumologia.

Na carta enviada hoje pela OM, a que a agência Lusa teve acesso, o processo de abertura de vagas para o internato de pneumologia deve ser retomado, segundo as capacidades que ainda têm de ser definidas pelo colégio desta especialidade, sendo de resto o mesmo processo que ocorrerá com as outras especialidades em todos os hospitais do país.

O CHULN tinha perdido a capacidade formativa em pneumologia para 2019, segundo o mapa de vagas de acesso à especialidade divulgado em meados de 2018, uma situação que foi inédita naquele centro, considerado a maior escola de pneumologia de Portugal.

A perda de capacidade formativa deu-se na sequência de denúncias relativas a situações irregulares, como o caso de internos que estariam a fazer urgência sozinhos, sem tutela de um especialista.

Na carta enviada hoje à administração do centro hospitalar, a Ordem dos Médicos entende que foram “resolvidas as questões relacionadas com o internato por parte do CHULN”.

Contactado pela agência Lusa, o presidente da administração do CHULN, Carlos Martins, reagiu com entusiasmo à reposição da capacidade formativa na área da pneumologia, considerando-a uma “fantástica notícia”.

“Coloca-nos de novo a ter responsabilidades integrais na formação de especialistas de pneumologia, honrando a história de décadas de sucesso do Hospital Pulido Valente e a tradição universitária do Hospital Santa Maria, ou seja, o trabalho de gerações de profissionais”, afirmou Carlos Martins.

LUSA

ler mais

RECENTES

ler mais