1 Mar, 2019

Aumentaram os suicídios de mulheres e de jovens

Em 2017, suicidaram-se 1061 pessoas. Especialistas pedem cuidado na análise dos números mas dizem que é preciso um reforço dos meios na área da saúde mental.

O número de pessoas que pôs termo à própria em Portugal voltou a aumentar em 2017, em particular em dois grupos: o das mulheres e o dos jovens. Os dados mais recentes do INE, citados pelo Jornal de Notícias, apontam para total de 1061 casos nesse ano, um aumento de 80 mortes em relação a 2016.

Entre os jovens até aos 24 anos, registou-se um aumento de 15 casos (de 31 para 46). Uma dessas mortes é de uma crianças com numa criança com menos de 14 anos. Também expressiva foi a evolução entre as mulheres, com um crescimento de 19% (para os 274 casos). Ainda assim, a esmagadora maioria dos suicídios (cerca de 75%) continuam a acontecer entre os homens. Também neste grupo houve um aumento em relação a 2016 – na ordem dos 5% (787 mortes).

O Alentejo continua a ser a região com a taxa bruta de suicídios mais elevada. Em média, os suicídios em território português ocorrem aos 59 anos.

Os especialistas pedem algum cuidado na leitura dos números. A introdução do Sistema de Informações dos Certificados de Óbito, em 2013, pode ajudar a explicar parte da subida, explica ao JN Fausto Amaro, presidente da Sociedade Portuguesa de Suicidologia. Para além disso, podem ocorrer variações de ano para ano, embora a tendência europeia seja de “descida do suicídio”.

Ainda assim, o especialista recomenda que o serviço de saúde mental esteja mais atento a este fenómeno e aponta a falta de investimento nos cuidados de saúde mental como um dos pontos a corrigir.

Tiago Caeiro

ler mais

RECENTES

ler mais