4 Jul, 2022

Ventiladores comprados pelo Algarve em 2020 só agora “estão prontos a ser utilizados”

Quando os equipamentos chegaram à região “não estavam a funcionar corretamente”, problema que foi resolvido dois anos depois.

Os 30 ventiladores adquiridos pelos municípios algarvios em 2020, e que não puderam ser usados por problemas técnicos, “já estão prontos a ser utilizados”, anunciou a Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL).

Segundo uma nota da AMAL, “já estão no Algarve” os 30 ventiladores adquiridos com verbas doadas pela comunidade intermunicipal, estando “ultrapassado o impasse”.

Já estão aptos a funcionar os 30 ventiladores adquiridos pelo ABC – Algarve Biomedical Center [consórcio que integra o Centro Hospitalar Universitário do Algarve e a Universidade do Algarve]”, lê-se no comunicado.

Os ventiladores, para os quais tinha sido destinada uma verba de 1,3 milhões de euros em 2020, no início da pandemia de covid-19, “passaram nos testes, estando aptos a serem utilizados, e estão, neste momento, na Base de Apoio Logístico do Algarve da Proteção Civil”, refere a AMAL.

Na nota, a AMAL recorda que no início da pandemia “doou dois milhões de euros para a aquisição de material médico diverso e Equipamento de Proteção Individual, tendo sido destinados 1,3 milhões de euros para a compra de ventiladores”.

Contudo, acrescenta, quando os equipamentos chegaram à região “não estavam a funcionar corretamente” devido a questões relacionadas com “o ‘software’ e com diferenças nas especificações” e foram, então, realizados contactos com o fornecedor, na China, e “os equipamentos foram alterados”.

Agora, os equipamentos já foram sujeitos a testes pelo Serviço de Utilização Comum dos Hospitais (SUCH), “o organismo do Ministério da Saúde que deu parecer positivo à sua utilização”, estando a situação “ultrapassada” e os ventiladores “prontos a serem utilizados”.

Citado na nota, o presidente da AMAL, António Pina, classifica como “muito positiva a resolução deste impasse”, destacando “o papel decisivo do embaixador de Portugal em Pequim, José Augusto Duarte, assim como do presidente do Algarve Biomedical Center, Nuno Marques” para este desfecho.

SO/LUSA

Notícia Relacionada

Número de médicos intensivistas pode não ser suficiente para ventiladores

Print Friendly, PDF & Email
ler mais

RECENTES

Print Friendly, PDF & Email
ler mais