DPOC continua subdiagnosticada. “Há uma grande falta de sensibilização dos profissionais de saúde”

Em entrevista, o médico de família da USF do Minho admite que o “subdiagnóstico ainda é elevado”. É necessário reforçar a sensibilização dos profissionais, bem como melhorar o acesso às espirometrias.