Ginecologista-obstetra com pós-graduação em Antienvelhecimento

Sexualidade & Coração: A menopausa não tem de ser um bicho de sete cabeças

A menopausa ocorre entre os 45 e os 55 anos, sendo que na população portuguesa ocorre, em média, entre os 51-52 anos.

Por volta dos 48 anos, normalmente dois anos antes da menopausa, começa a dar-se, em várias mulheres, a perimenopausa, ou seja, a pré-menopausa. Nesta fase começam a surgir alguns sinais físicos como afrontamentos, sono fracionado, ciclos menstruais desregulados, lapsos de memória, aumento de peso, incontinência urinária, e alguma secura vaginal, associada a desconforto nas relações sexuais. Muitos destes sintomas desaparecem, estando presentes apenas durante um período relativamente curto.

Nestes dois a três anos que antecedem a menopausa, as mulheres têm uma alteração hormonal semelhante à sentida na adolescência e, por vezes, verifica-se também um aumento da líbido. É preciso que as mulheres estejam atentas a estes sinais, pois até aquele colega de trabalho que não suscitava interesse nenhum, de repente de sapo passa a príncipe que lhes apareceu à frente, e algumas relações podem sofrer abalos e até terminar, devido a estas paixões esporádicas que não têm qualquer base amorosa ou sentimental, mas puramente hormonal.

Atualmente, veem-se muitas mulheres com 40 anos assustadas com os sintomas da menopausa. Claro que é muito importante o estilo de vida que as mulheres têm, mas a menopausa precoce está intimamente associada a um choque emocional, como a morte de um familiar próximo ou uma situação de desemprego. Há também mulheres que se preocupam bastante com o surgimento da menopausa ainda antes da altura devida, tendo em conta a associação negativa que a nossa sociedade atribui à passagem do tempo, como o surgimento de doenças e a perda de faculdades.

Neste momento existem cerca de dois milhões de mulheres a passar pela menopausa, e felizmente que a idade da menopausa não corresponde à idade da reforma, e defendo esta posição pois por norma na idade da menopausa a mulher está mais cansada, desmotivada e com alguma depressão, também em parte resultante da falta de repouso de qualidade. Estando a mulher ainda em idade ativa, a obrigatoriedade de cumprir horários e fazer as suas atividades com um ritmo diário regular, tende a passar esta fase de um modo mais equilibrado.

Nesta fase estão a dar-se alterações hormonais e não é só a nível psicológico, mas também a nível biológico. Tendo em conta a baixa de estrogénios, as mulheres devem sobretudo munir-se de vários objetivos que as façam manter-se ativas, de modo a ultrapassar este processo com maior facilidade e leveza.

Quem me envia mais doentes é o Dr. Google, por isso o meu principal conselho para as pessoas no geral, e aqui as mulheres em particular, é que não devem absorver tudo o que consomem online. Analisem aquilo que leem e tentem não se deixar preocupar de forma desnecessária, pois habitualmente esses conteúdos nem têm significado científico.

Na menopausa, em algumas situações clínicas pode haver a necessidade de terapêutica hormonal de substituição, mas não é necessária em todos os casos. Deste modo deixo algumas dicas, divididas por tópicos, com o intuito de ajudar as mulheres a passarem por esta fase da forma mais tranquila e relaxada possível.

 

Alimentação equilibrada

A maioria das pessoas almoça alguma coisa rápida, como uma sandes, não fazendo uma adequada reposição dos níveis nutricionais, o que leva a algum aumento do peso e dos níveis de stress. Uma dica que deixo é passarem a levar lanches para o trabalho, para poderem ir comendo com regularidade e de um modo mais saudável.

Exercício físico

Não é qualquer tipo de exercício que é aconselhado, pois exercícios de alto impacto são completamente desaconselhados na medida em que vão ter muito mais dores.

As mulheres devem fazer principalmente alongamentos, caminhadas e através de modalidades como Yoga ou Pilates. É também desaconselhada a corrida, tendo em conta a tendência aumentada do surgimento de osteoporose, fazendo com que os ossos estejam mais fragilizados e as vértebras maior tendência a fazer mais colapso, e as mulheres chegam a reduzir cinco centímetros de altura.

Meditação e Vitamina D

É importante saber dizer NÃO, pois as mulheres, especialmente nesta fase, tendem a querer fazer muita coisa ao mesmo tempo e a sentirem-se mais cansadas. Esse desgaste causa lapsos de memória que geram ainda mais stress que é completamente desnecessário, pois só as torna as mulheres mais inseguras.

A redução dos níveis de stress tem um efeito benéfico também na fase da menopausa, por isso é muito aconselhada a prática da meditação, de forma a aumentar o relaxamento do organismo e equilíbrio mental. Também as caminhadas ao sol são recomendadas, com impactos positivos a nível cerebral e, consequentemente, a nível orgânico.

Banhos de imersão e “escaldão nos pés”

As mulheres devem tomar um banho de imersão antes do jantar, de cerca de 20 minutos a meia hora. Atenção, se tiverem muitas varizes nos membros inferiores não devem utilizar a água tão quente, ou devem colocar as pernas fora da banheira, para não piorar a sua vasoconstrição. Devem ainda permanecer em casa imediatamente após o banho, pois a mudança de temperaturas resultante de uma vinda à rua pode provocar uma contratura muscular.

Num curso que fiz no Japão sobre a menopausa tomei ainda conhecimento dos chamados banhos de “escaldão nos pés”, antes de ir dormir. Deve ser feito uns 5-10 minutos antes de ir para a cama, deve pôr os pés em água quente. Segundo alguns estudos, é nos pés que se encontram os principais pontos de acupuntura, facilitando o relaxamento. De um ponto de vista científico, há uma dilatação sanguínea que melhora a qualidade do sono.

Vestuário

Tendo em conta o aumento dos episódios de afrontamentos nesta fase da vida, aconselho a que as mulheres optem por se vestir “por camadas”, permitindo que tenham a possibilidade de vestir os despir peças de roupa conforme lhes for mais confortável, tendo em conta a sua temperatura corporal.

Sexualidade

A secura vaginal também costuma ser um problema nesta fase, estando também associada, muitas vezes, à diminuição do desejo e da líbido. Aconselho, por isso, a utilização de um lubrificante vaginal para contrariar esta tendência. Atualmente, a oferta é tão variada e já existem até lubrificantes à base de água, que permitem a prática de sexo oral sem qualquer inconveniente.

Os homens não são analgésicos, por isso se sentir dores de cabeça tome um paracetamol e deixe-se disfrutar deste momento que só lhe trará benefícios – quer para a sua saúde, quer para a vida amorosa com o/a seu/sua parceiro/a. Até porque sendo o sexo também uma atividade física, quanto mais vezes fizer, mais vontade terá de fazer.

Incontinência urinária

A incontinência urinária pode também surgir por volta dos 50 anos de idade, mas com a prática de exercícios de Kegel, que se caracterização pela contração dos músculos do pavimento pélvico, da entrada da vagina, como se tivessem vontade de urinar e não pudessem. Podem fazê-lo cinco vezes em pé e cinco vezes deitadas, com objetivo de fortalecer os músculos da uretra e da vagina, que com a menopausa perdem alguma da sua elasticidade.

Repouso

É recomendado que as mulheres antes de ir dormir leiam um livro ou assistam a vídeos calmantes, mas nunca nada com demasiada ação ou muito estimulante, para não estar a ativar ainda mais as conexões cerebrais, perturbando ainda mais o sono. É também aconselhado que o quarto esteja completamente escuro e sem barulho.

Print Friendly, PDF & Email
ler mais

RECENTES

Print Friendly, PDF & Email
ler mais