Quais as doenças da pele mais frequentes nas crianças?

2 Ago, 2018

Dermite Atópica, Verrugas Víricas e Moluscos Contagiosos são as doenças de pele mais comuns nas crianças, segundo a especialista Eduarda Osório Ferreira, membro da Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia, que explica cada uma destas patologias.

Dermite atópica

A dermite atópica é o tipo de eczema mais frequentemente observado na infância e, potencialmente, uma das doenças com maior impacto na qualidade de vida dos pacientes e seus cuidadores.

É uma doença crónica, hereditária, recorrente, com características clínicas comuns a todos os doentes: xerose (secura da pele), inflamação, prurido (“comichão”). A localização das lesões inflamatórias varia consoante a idade. Afecta 10 a 20% das crianças, sendo frequente uma história pessoal ou familiar de rinite alérgica/asma.

As crianças com DA têm uma maior suscetibilidade de desenvolver infeções cutâneas, e mais graves, comparativamente à população geral.

A hiperreactividade (“sensibilidade”) cutânea a múltiplos estímulos é frequente, podendo induzir crises de agravamento do eczema. Por isso os alergénios potenciais devem ser identificados por uma história minuciosa e/ou por testes de hipersensibilidade (“alergia”).

O tratamento eficaz da DA requer, por um lado, cuidados constantes, a longo-prazo, de forma a aumentar os períodos livres de inflamação; por outro, o tratamento farmacológico, tópico e/ou sistémico, consoante a gravidade do quadro clínico; os fatores reconhecidamente agravantes devem ser evitados.

Verrugas víricas

As verrugas (“cravos”), causadas pelo papilomavírus humano, atingem 7 a 10% da população geral, sobretudo crianças em idade pré-escolar e jovens adultos.

Dos vários tipos de verrugas – vulgares, planas, filiformes, anogenitais -, aquelas que , atendendo à sua localização e potencial extensão mais frequentemente são sede de dor ,afectando a qualidade de vida do paciente, são as verrugas plantares. A fonte de contágio mais habitual é o chão dos balneários e piscinas, favorecido por pequenos traumatismos.

Apesar da cura espontânea ser possível, a sua contagiosidade aconselha o tratamento precoce; a dor e o desconforto que induzem em certas localizações exigem medidas terapêuticas adequadas ao tipo clínico e à localização.

Moluscos contagiosos

Causados por um poxvírus, ocorrem em número variável até às dezenas, com localização preferencial ao tronco, face e região anogenital.

O contágio ocorre por contacto pele-a-pele, com equipamentos contaminados , por auto-inoculação ou por disseminação do vírus na água de piscinas e é por vezes importante, particularmente na criança com dermite atópica. Por vezes rodeia-se de halo inflamatório (“vermelho”) que poderá corresponder a um modo de cura espontânea.

Apesar de poder ocorrer a resolução espontânea dos moluscos, dada a elevada contagiosidade e risco de auto-inoculação o tratamento é aconselhado. As formas disseminadas são de difícil tratamento.

ler mais

RECENTES

ler mais