22 Fev, 2019

Prémio Pulido Valente Ciência 2018 distingue dois estudos sobre engenharia biomédica

Um estudo sobre bioimpressão em três dimensões da pele e outro sobre terapias para diabetes tipo 2 foram distinguidos com o Prémio Pulido Valente Ciência 2018, que distingue trabalhos na área das ciências biomédicas.

De acordo com informação divulgada hoje pelo Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S), no Porto, a edição de 2018 do Prémio Pulido Valente Ciência, dedicada à engenharia biomédica, distinguiu o estudo do seu investigador Rúben Pereira e a investigadora Joana Sacramento, do CEDOC – Centro de Estudos de Doenças Crónicas, em Lisboa.

O estudo desenvolvido desde 2016 pelo investigador Rúben Pereira e denominado “A single-component hydrogel bioink for bioprinting of bioengineered 3D constructs for dermal tissue engineering”, permitiu, através da impressão em três dimensões(3D) de um material designado ‘pectina’ (polímetro natural) com as células da derme (camada mais espessa da pele) provar que o tecido reproduzido ‘in vitro’ é similar ao tecido da derme.

A tecnologia utilizada nesta investigação pode vir a ser integrada em sistemas de imagem médica e permitir o desenvolvimento de modelos substitutos de pele, adaptados a cada paciente mediante as suas lesões.

Já o trabalho desenvolvido pela investigadora Joana Sacramento, denominado “Bioelectronic modulation of carotid sinus nerve activity in the rat: a potencial therapeutic approach for type 2 diabetes” e publicado na revista Diabectologia, avaliou a capacidade de uma nova aplicação bioelétrica – modulação corrente alternada em quilo-hertz (KHFAC) – suprimir os sinais neurais dentro do nervo sinusal carotídeo (CNS) em ratos com diabetes tipo 2.

Esta investigação permitiu à investigadora concluir que a modelação da aplicação bioelétrica no nervo sinusal carotídea melhora o controlo metabólico dos animais. Os resultados obtidos neste estudo podem levar a uma nova modalidade terapêutica no tratamento de doenças metabólicas em humanos.

O Prémio Pulido Valente Ciência, no valor de dez mil euros, distingue o melhor artigo publicado por investigadores com menos de 35 anos a trabalhar num laboratório português na área das Ciências Biomédicas.

A entrega do Prémio Pulido Valente Ciência 2018 vai decorrer no dia 07 de março, no Palácio das Laranjeiras, em Lisboa.

LUSA

ler mais

RECENTES

ler mais