14 Out, 2019

Número de idosos a tomar antidepressivos duplicou em 20 anos

Mais de 10% dos idosos já toma antidepressivos, segundo um estudo que envolveu mais de 15 mil britânicos. Contudo, prevalência da depressão não acompanha subida.

O número de adultos com 65 anos ou mais que tomam antidepressivos mais do que duplicou nas últimas duas décadas, apesar de pouca mudança no número de idosos diagnosticados com depressão, mostra um estudo publicado no British Journal of Psychiatry.

Os investigadores entrevistaram mais de 15.000 adultos com 65 anos ou mais na Inglaterra e no País de Gales para verificar se a prevalência de depressão e uso de antidepressivos tinham sofrido alterações.

Entre os dois grupos comparáveis ​​de pessoas entrevistadas com 20 anos de diferença, a prevalência de depressão caiu apenas um pouco – de 7,9% no período anterior para 6,8% no período posterior. No entanto, a proporção de idosos a tomar antidepressivos saltou de 4,2% no período inicial para 10,7%, duas décadas depois.

Contudo, a maioria dos que tomaram antidepressivos não tinha diagnóstico de depressão. “Às vezes, o tratamento é feito para depressão leve que fica fora da nossa definição de depressão – muitas das evidências para a eficácia dos antidepressivos são para pessoas com depressão moderada ou grave. Os antidepressivos também são usados ​​para tratar outras condições, como dor neuropática e distúrbios do sono “, explica o médico Antony Arthur, da Universidade de East Anglia, em Norwich (no Reino Unido).

TC/SO

ler mais

RECENTES

ler mais