17 Abr, 2020

Nova unidade de cuidados intensivos de Matosinhos pronta no início de maio

Informação é avançada pelo presidente do conselho de administração do Hospital Pedro Hispano, António Taveira Gomes.

“No início de maio, já queria ter lá todos os doentes covid positivos e os blocos a retomar alguma atividade. Ou seja, retomar a normal atividade do hospital, porque hoje temos alguma certeza de que estamos a tratar de uma emergência, acautelando menos outras emergências”, disse António Taveira Gomes.

Em declarações à Lusa, no âmbito de uma visita realizada esta manhã às obras da nova unidade de Medicina Intensiva, Taveira Gomes defendeu “a necessidade de tratar das pessoas que precisam e não podem esperar, mas sem prejuízo de continuar a controlar completamente esta pandemia”.

A nova Unidade de Cuidados Intensivos, com 11 quartos de pressão negativa, ficará concluída em 20 dias, encontrando-se, nesta fase, a meio do processo. O objetivo é responder à “pressão” crescente causada pela pandemia da covid-19.

Orçada em cerca de 700 mil euros, Taveiro Gomes disse que se pretende construir esta unidade recorrendo ao mecenato, sem necessidade de recorrer a dinheiros públicos, embora nesta fase do processo ainda só esteja assegurada “cerca de metade da verba”.

 

Hospital vai passar a contar com 21 camas de cuidados intensivos

 

A Câmara Municipal de Matosinhos já manifestou disponibilidade para, em conjunto com a Unidade Local de Saúde de Matosinhos (ULSM), comparticipar financeiramente, caso não se consiga junto do mecenato todo o dinheiro necessário para a conclusão da obra.

Depois de concluída a nova unidade, o Hospital Pedro Hispano, que serve as populações de Matosinhos, Póvoa de Varzim e Vila do Conde, num total de 320 mil pessoas, passará a contar com 21 camas de cuidados intensivos, o que “dá um rácio de seis camas por 100 mil habitantes”.

O objetivo, segundo explicou o responsável, é criar condições de tratamento efetivo de doentes e de segurança para os profissionais.

Taveira Gomes considera que o país “está agora numa fase em que a pressão de tratamento de doentes críticos é crescente”, uma realidade que acontece “na Unidade Local de Saúde de Matosinhos, que inclui o Hospital Pedro Hispano, como em toda rede de medicina intensiva”, razão pela qual foi decidido avançar com este projeto.

A nova Unidade de Cuidados Intensivos terá acesso ao atual Serviço de Medicina Intensiva e ficará instalada no espaço relvado junto à entrada de pessoal do Hospital Pedro Hispano.

“Aqui, como noutras áreas, o esforço tem sido muito elevado. A Medicina Intensiva, com a excelente colaboração da UCIP [Unidade de Cuidados Intermédios Polivalente] e do Departamento de Anestesiologia, fica assim mais capacitada para responder a uma procura que se antevê muito elevada”, concluiu Taveira Gomes.

SO/LUSA

ler mais

RECENTES

ler mais