23 Abr, 2018

Nova maternidade de Coimbra já tem localização escolhida

A nova maternidade de Coimbra, que resulta da fusão de duas maternidades existentes no concelho, vai ficar situada no polo dos Hospitais da Universidade de Coimbra.

“A escolha do polo dos Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC) teve em conta a segurança das grávidas. Em situações de emergência é importante a proximidade de um hospital central”, revelou o presidente do conselho de administração do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), na sexta-feira.

Por esclarecer ficou ainda se a nova maternidade será instalada num edifício construído de raiz ou se será adaptado algum imóvel já existente no campus. Fernando Regateiro justificou a escolha do campus em detrimento da localização Covões (preferida pela Câmara de Coimbra) pelo facto de haver nas vizinhanças diversos equipamentos de saúde.

Fernando Regateiro falava durante uma sessão em Coimbra em que foram apresentados investimentos a rondar os 100 milhões de euros previstos para o concelho nos próximos três anos, a que assistiu o ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes.

“Estes investimentos são a prova de que o Governo continua a investir no Serviço Nacional de Saúde (SNS)”, comentou no final o ministro, que esteve em Coimbra para assistir à sessão de encerramento da Cimeira Mundial de Saúde. Adalberto Campos Fernandes garantiu que os investimentos permitirão a Coimbra continuar a ser uma referência nacional no setor da saúde.

Grande parte dos investimentos anunciados hoje já eram conhecidos, como é o caso dos 22 milhões previstos para a requalificação das áreas cirúrgicas e imagiologia do Instituto Português de Oncologia (IPO) de Coimbra. A assinatura do contrato do novo edifício do IPO, que será construído em 85 por cento com capitais próprios do Instituto, está prevista para o segundo semestre deste ano, estando a conclusão prevista para 2020. Enquanto decorrerem as obras, será prestada assistência aos doentes num novo bloco operatório externo, investimento de 1,5 milhões que deverá ficar concluído no final deste ano.

A presidente do Conselho Diretivo da Administração Regional de Saúde do Centro, Rosa Reis Marques, confirmou também o investimento de 3,5 milhões na construção de um novo centro de saúde em Fernão Magalhães e de 1,8 milhões na remodelação do centro de saúde de Celas, um dos mais movimentados da região.

Lusa/So

ler mais

RECENTES

ler mais