6 Fev, 2018

Médicos escrevem carta aberta a ministro da Saúde sobre atraso na colocação

O grupo de médicos recém-especializados em Medicina Geral e Familiar aguarda colocação há quatro meses e tenciona entregar hoje a carta a Adalberto Campos Fernandes como forma de protesto.

“O grupo de médicos Recém-Especialistas em Medicina Geral e Familiar que a 16 de outubro de 2017 concluiu um longo e exigente percurso formativo encontra-se desde então a aguardar a publicação do concurso de colocação ‘sine die’”, lê-se no documento.

Os 36 signatários da carta questionam o ministro sobre a razão de tal demora, quando “milhares de portugueses de todas as faixas etárias continuam à espera de ter um médico de família”.

Interrogam-se também sobre a razão pela qual “o Estado privilegia e aumenta a subcontratação de médicos sem especialidade através de empresas, a custos avultados e muito superiores”, enquanto eles continuam a ser remunerados como internos da especialidade.

Uma vez que “a 10 de janeiro de 2018, o Sr. ministro da Saúde disse na Assembleia da República que o concurso seria ‘lançado dentro de dias’” e que já passaram “várias semanas desta declaração”, estes médicos especialistas instam-no a marcar “uma data concreta e breve” para a abertura do concurso em causa.

O grupo indica ainda que esta carta aberta será hoje entregue “por recém-especialistas da Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte, às 16:00, na sede da ARS Norte, e por recém-especialistas da ARS Centro, às 14:30, na sede da ARS Centro”.

“[A carta será entregue] ao excelentíssimo Senhor Ministro da Saúde ‘por mão própria’ tão cedo quanto possível, já que não acedeu ao nosso pedido de entrega do referido documento pessoalmente”, referem ainda.

LUSA/SO

ler mais

RECENTES

ler mais