Hospital de Santa Maria inaugura nova consulta de sexualidade pós-parto

Santa Maria passa assim a ser um dos primeiros hospitais públicos nacionais a oferecer resposta numa área importante para a saúde global da mulher.

O Serviço de Obstetrícia do Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte inaugura nesta segunda-feira, 13 de Dezembro, uma consulta especializada em sexualidade no pós-parto, dirigida pela Dr.ª Maria do Céu Santo. As utentes podem recorrer a esta consulta enviadas pelos seus médicos de família ou então através de marcação direta, pelo mail ce.obstetricia@chln.min-saude.pt ou pelo telefone 21 780 50 78.

Santa Maria passa assim a ser um dos primeiros hospitais públicos nacionais a oferecer resposta numa área importante para a saúde global da mulher.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, a saúde humana é definida não apenas como ausência de doença, mas também pelo bem-estar físico, mental, social e sexual. “Assim, a sexualidade necessita de ser considerada um aspeto importante da saúde global da mulher e dos casais”, explica a médica responsável pela nova consulta do Serviço de Obstetrícia.

O nascimento de um filho constitui um marco importante na vida de uma mulher, com implicações na sua imagem interna e externa, e com o assumir de papéis e responsabilidades adicionais. Durante a gravidez verificam-se mudanças biológicas, psicológicas e de relacionamento que afetam a sexualidade. Após o nacimento do bebé há uma fase de adaptação às exigências de um novo elemento no agregado familiar e a preocupação em recuperar a imagem e o peso que a mulher tinha antes da gravidez. “É frequente ocorrer uma redução da atividade sexual após o parto, motivada quer por diminuição da líbido (desejo), quer por dispareunia (dor na relação sexual). São muitos os fatores que contribuem para reduzir a líbido, o cansaço, as noites sem dormir, redução da autoestima, a insegurança, a falta de tempo, pois o foco é no bebé”, enumera Maria do Céu Santo.

O objetivo desta nova consulta do Serviço de Obstetrícia, dirigido pelo Prof. Diogo Ayres de Campos, é que as mulheres possam recorrer a apoio clínico adequado nestas situações. Por vezes, apenas são necessários conselhos dos médicos de medicina geral e familiar, mas outros casos beneficiam da experiência de médicos com formação específica nesta área, com capacidade de atuação em aspetos físicos e psicológicos, de modo a haver uma abordagem integrada da sexualidade da mulher.

COMUNICADO

ler mais

RECENTES

ler mais