3 Nov, 2020

Hospital de Penafiel pede “ajuda”. Situação é dramática, diz Ordem dos Médicos

Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa tem mais de 100 profissionais infetados ou em isolamento e pede reforço de médicos. Situação é insustentável, diz a Ordem.

O Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa (CHTS), que regista 10% dos internamentos covid-19 a nível nacional, solicitou à tutela “reforço” de médicos de medicina geral e familiar, disse hoje a Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N).

“Logo que rececionado o email [do presidente do conselho de administração do CHTS], de imediato o mesmo foi reencaminhado para todos os diretores executivos dos Agrupamentos de Centros de Saúde da Região, apelando a uma resposta célere”, referiu à Lusa fonte da ARS-N.

Em causa está uma mensagem de correio eletrónico com data de segunda-feira remetida pelo presidente do conselho de administração do CHTS, Carlos Alberto Silva, à direção da ARS-N, pedindo “ajuda” perante o internamento de 210 doentes covid-19, dos quais 10 em cuidados intensivos.

 

Centro Hospitalar tem 235 internados com Covid-19

 

“Já tenho 30 internados na urgência outra vez e hoje é segunda-feira, dia particularmente difícil. Se tiverem médicos de clínica geral que possam vir fazer urgência era bom porque tivemos aqui alguns positivos que fragilizaram as escalas. Está complicado”, lê-se no ‘email’ de Carlos Alberto Silva, ao qual a Lusa teve hoje acesso.

Hoje o CHTS conta com 235 internados, dos quais 11 internados em cuidados intensivos.

Com unidades em Penafiel e em Amarante, o CHTS presta apoio a cerca de 520 mil pessoas de uma região que inclui Paços de Ferreira, Lousada e Felgueiras.

 

Situação é dramática, diz Ordem dos Médicos

 

O presidente do Conselho Regional do Norte da Ordem dos Médicos fala numa situação dramática no Centro Hospital do Tâmega e Sousa, “com um número de doentes de Covid muito elevado” e um “número muito grande de profissionais de saúde infetados ou em quarentena”. A situação é “insustentável”, diz António Araújo, em declarações ao Observador.

“A ARS Norte tinha e tem o dever, tal como o Governo tinha e tem o dever, de antecipar situações dramáticas como esta. E não antecipando, tentar resolver rapidamente a situação quando ela surge”, disse o médico, adiantando que tem chegado à OM “muitos relatos de profissionais de saúde desesperados, a chorar, perfeitamente impotentes para lidar com a situação que estão a viver e, portanto, a requerer urgentemente ajuda”.

Hospital “em rutura”

Numa reportagem de quinta-feira publicada pelo Expresso leem-se relatos de médicos que apontam para a “rutura do hospital”: Sentimo-nos em Itália mas sem que seja reconhecido isso. É como se as paredes não permitissem que se visse para dentro”, referiu uma das profissionais.

Na segunda-feira, fonte deste hospital confirmou à Lusa que o CHTS transferiu “cerca de 50” doentes covid-19 para outros hospitais da região e que 30 foram encaminhados doentes de Penafiel para Amarante.

A mesma fonte indicou à Lusa que o CHTS contabiliza “mais de 100” profissionais de saúde de todos os grupos profissionais, desde médicos a enfermeiros e assistentes operacionais, “infetados ou em isolamento profilático”.

SO/LUSA

ler mais

RECENTES

ler mais