14 Nov, 2018

“Escute o seu corpo” no Dia Mundial da Diabetes

A causa mais comum da neuropatia periférica é a diabetes, afetando até 50% dos doentes. “Escute o seu corpo” é a campanha que, no Dia Mundial da Diabetes, marca presença na Gare do Oriente, em Lisboa, para dar voz à neuropatia.

“Escute o seu corpo” é o mote de uma campanha global que dá a conhecer os sintomas de uma doenças que, apesar de subdiagnostiada, sabe-se que atinge grande parte da população.

Lançada com o apoio da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF), a campanha apresenta-se com uma mensagem simples que aponta, de uma forma clara e direta, para as principais manifestações da neuropatia: a perda de sensibilidade, o formigueiro e o ardor, sintomas que afetam, sobretudo, o sistema nervoso periférico, ou seja os nervos dos braços e das pernas.

Como explica Jorge Brandão, médico de medicina geral e familiar e Vice-presidente da APMGF, “a Neuropatia corresponde a um quadro de lesões nos nervos motores, sensoriais e/ou autónomos que afetam diferentes fibras nervosas. Ocorre quando há lesão no sistema nervoso periférico, como nos nervos dos braços e das pernas, o que conduz a um quadro sintomático desconfortável e perturbador da qualidade de vida dos doentes”.

A Neuropatia atinge cerca de 8% da população geral, mas a frequência pode ultrapassar os 50% em pessoas idosas, com diabéticos e alcoólicos.

 A Neuropatia é uma doença cuja prevalência aponta para cerca de 8% da população em geral, mas a frequência pode ultrapassar os 50% em idosos, diabéticos e alcoólicos. “Sabe-se que 50% das pessoas podem estar em risco de desenvolver Neuropatia com o passar dos anos e 1 em cada 3 pessoas poderá evoluir para um quadro debilitante. É importante que as pessoas, em especial os grupos de risco, reconheçam os sintomas e procurem identifica-los junto do seu médico, de modo a travar ou controlar a doença”, esclarece Jorge Brandão.

Com vista a promover um maior conhecimento da doença e a sensibilização da sociedade em geral, esta é uma campanha que tem como suporte a plataforma www.escuteoseucorpo.pt, um espaço que dá a conhecer os sintomas, os grupos de risco e as razões que suportam a necessidade de promover o diagnóstico precoce. Para a APMGF, a questão do diagnóstico precoce é importante para intervir mais atempadamente e contrariar a evolução das doenças subjacentes. “Sabe-se que, quando diagnosticadas precocemente, as doenças que originam neuropatia podem ser revertidas ou, pelo menos, controladas, pelo que é importante que as pessoas reconheçam os sintomas de modo a travar os possíveis danos que, a longo prazo, se verificam a nível do sistema nervoso periférico, tornando-se irreversíveis quando a perda de fibras nervosas ultrapassa os 50%”.

COMUNICADO

ler mais

RECENTES

ler mais