29 Set, 2021

Dia Mundial do Coração. Fundação Portuguesa de Cardiologia levou lisboetas a caminhar pelo seu

A Fundação Portuguesa de Cardiologia assinalou a efeméride com uma ação de rua, em Lisboa, em que desafiou os lisboetas e todos os interessados a percorrerem, um circuito em forma de coração, com uma distância de cerca de cinco quilómetros.

A iniciativa foi organizada pela organizada pela Fundação Portuguesa de Cardiologia em parceria com a Câmara Municipal de Lisboa (CML) e o Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ).

Este percurso incluiu zonas emblemáticas da capital – Baixa-Chiado, Rossio, Martim Moniz, Campo Mártires da Pátria e Jardim de S. Pedro de Alcântara – onde os participantes puderam parar numa “estação” e carimbar o seu passaporte “Manter o Coração em Forma”, ao mesmo tempo que foram sensibilizados para a importância da adoção de estilos de vida saudáveis, nomeadamente através da avaliação da pressão arterial, ou de aconselhamento nutricional.

Na estação de partida – localizada no Campo das Cebolas –, o médico da FPC Luís Negrão congratulou-se com “o regresso da Fundação à rua”. No entender do especialista, “a pandemia agravou bastante o sedentarismo dos portugueses, com situações de muita inatividade física e aumento de peso ponderal”. Ao mesmo tempo, a Fundação viu-se forçada a suspender as habituais ações de rua/empresas e os rastreios, organizados com o intuito da prevenção das doenças cardiovasculares e promoção de hábitos de vida saudáveis. “É tempo de recuperar”.

Em declarações ao SaúdeOnline, Luís Negrão sublinhou que, “apesar de nada substituir o contacto físico/presencial, o digital tem inúmeras vantagens, permitindo veicular informação e chegar às pessoas”, fazendo alusão ao mote definido pela World Heart Foundation para o Dia Mundial do Coração 2021: “Liga-te com o Coração”.

Também o presidente do IPDJ, Vítor Pataco, se mostrou satisfeito com o regresso das ações de rua, reforçando que “as pessoas estão sedentas deste tipo de atividades, ainda para mais num dia de outono tão bonito como o de hoje”.

Poucos minutos depois do sino da Sé tocar as 10 badaladas, o primeiro grupo partiu, animado, envergando as t-shirts coloridas e de passaporte na mão, para a caminhada de cinco quilómetros. “Um grupo composto por 37 estudantes de Erasmus, da área de Desporto”, explicou ao SaúdeOnline a Chefe de Divisão de Gestão da Oferta Desportiva do Departamento de Atividade Física e Desporto da CML, Margarida Reis.

Inserido no âmbito da Lisboa Capital Europeia do Desporto 2021, o percurso – que pode ser consultado em www.lisboa.run/trajetos/ – “é fácil e muito apelativo, uma vez que passa por alguns dos pontos mais emblemáticos da nossa cidade”, acrescentou a responsável.

“No fundo é aliar a cultura ao desporto, para um fim comum: o bem-estar da nossa população. Aliás, estamos tão entusiasmados que queremos convidar outros municípios a fazerem o mesmo e com isso, criarmos um passaporte nacional, onde portugueses e estrangeiros pudessem conhecer as nossas cidades, caminhando por percursos acessíveis a todos, “em forma de coração”, e que ao mesmo tempo mostrassem a beleza do nosso país.  Estes passaportes com os percursos pré-definidos poderiam vir a estar acessíveis nas juntas de freguesia e nos postos de turismo das cidades aderentes”, adiantou.

CBM/SO

ler mais

RECENTES

ler mais