15 Nov, 2018

Cerca de dois milhões de portugueses sofrem de enxaquecas. Os números da doença em Portugal

Quase um milhão de portugueses sofre da doença há mais de 10 anos. Estudo que vai ser apresentado no Congresso de Neurologia revela que 44% dos doentes dizem que crises de enxaqueca duram um ou mais dias.

Cerca de 20% da população portuguesa tem enxaquecas. A conclusão é da Sociedade Portuguesa de Cefaleias (SPC), que estima que, destas, 700 mil pessoas sofram de enxaquecas graves – o que significa que têm mais de quatro crises de cefaleias por mês, com uma maior intensidade de dores.

Para calcular o número de portuguesas com episódios de enxaqueca e de enxaqueca grave, a SPC baseia-se numa tese de doutoramento apresentada há mais de 20 anos (em 1995), o único estudo feito em Portugal sobre a doença. No entanto, como explica Miguel Rodrigues, membro da comissão científica da SPC ao Público, os números devem ser semelhantes na atualidade.

A doença afeta mais mulheres que homens, sendo que as primeiras crises podem surgir na infância e adolescência. “A causa é multifactorial e infelizmente não conseguimos prever quem vai ter enxaquecas, excepto por algumas coisas como ter história familiar”, refere o especialista.

Um estudo mundial, que avaliou a carga da enxaqueca do ponto de vista do doente, vai ser apresentado esta semana, segundo avança o jornal Público. Este trabalho mostra que metade dos pacientes portugueses faltou em média 3,8 dias ao trabalho por causa das fortes dores de cabeça.

O estudo, que investigou dados de mais de 11 mil doentes com pelo menos quatro dias de enxaqueca por mês (143 deles portugueses), vai ser apresentado no Congresso de Neurologia, que decorre entre 15 e 17 de novembro, no Porto. Promovido pela European Migraine e Headache Alliance (EMHA), organismo que junta várias associações de doentes, e financiado pelo laboratório farmacêutico Novartis, o trabalho conclui que a enxaqueca tem impacto na vida de mais de 80% dos inquiridos.

De entre os inquiridos em Portugal, 95% referiu dificuldades em dormir e mais de metade (54%) sentiu incompreensão por parte de outros. Quase 60% tem histórico de enxaqueca na família, sendo que, geralmente, a doença se manifesta de forma mais intensa entre os 35 e os 45 anos.

43% dos doentes portugueses são afectados por enxaquecas há mais de dez anos e quase metade garantem que as crises de enxaqueca duram um ou mais dias. Os doentes reportaram uma média de dez dias de enxaqueca no mês anterior ao estudo.

Saúde Online

ler mais

RECENTES

ler mais