18 Mar, 2021

Cefaleia em salvas. A dor de cabeça extrema

A cefaleia em salvas, também conhecida como “dor de cabeça suicida”, provoca crises repetidas de dor extremamente violenta

No âmbito do Dia Internacional da Cefaleia em Salvas, a Sociedade Portuguesa de Cefaleias (SPC) e a MiGRA Portugal – Associação de Doentes com Enxaqueca e Cefaleias, organizam, dia 21 de março pelas 18h, o evento “Cefaleia em Salvas: Em diálogo”.

Esta conversa, que tem como principal objetivo consciencializar para o impacto desta patologia na vida dos doentes, vai decorrer em formato de Facebook live na página da MiGRA Portugal.

A cefaleia em salvas, também conhecida como “dor de cabeça suicida”, provoca crises repetidas de dor extremamente violenta, que pode levar os doentes, em casos raros e extremos , a pensar no suicido por não conseguirem tolerar  a dor tal a sua intensidade.

Neste Facebook live para além de se abordar o tema de cefaleia em salva e esclarecer o real impacto na vida dos doentes, haverá ainda a possibilidade de ouvir testemunhos de doentes, que poderão explicar os efeitos que a cefaleia em salva tem nas suas vidas e como lidam com ela.

“Atualmente, o diagnóstico desta patologia é, ainda, efetuado de forma tardia e pode demorar, em média, cinco anos. Nas cefaleias em salvas é essencial um diagnóstico correto e precoce, para que os doentes possam receber o tratamento adequado que não só ajuda a controlar os sintomas durante uma crise, mas também a encurtar o período de salvas ou seja o período em que podem ocorrer as crises. Assim com este Facebook live pretendemos alertar os doentes para os sintomas característicos deste tipo de cefaleias e para a necessidade de consultarem um médico assim que os identifiquem”, explica a presidente da Sociedade Portuguesa de Cefaleias, Elsa Parreira.

“Viver com cefaleias em salvas é um desafio para os doentes. Estamos a falar de dores desesperantes e intensas que, em períodos de crise, levam os doentes a ficar extremamente agitados e, em alguns casos, a magoarem-se, pois alguns chegam mesmo a bater com a cabeça numa parede, tentando amenizar a dor”, explica Madalena Plácido, presidente da MiGRA Portugal.

A cefaleia em salva é caracterizada por episódios repetidos de dor intensa, excruciante que, por norma, se manifesta apenas de um lado da cabeça e afeta predominantemente a zona ocular. Muitas vezes esta é acompanhada por lacrimejo e obstrução nasal. Estas dores de cabeça podem ter uma duração entre 15 minutos a 3 horas e repetirem-se uma ou mais vezes diariamente, frequentemente ocorrendo durante a noite.

 

Notícias relacionadas:

ler mais

RECENTES

ler mais