3 Jun, 2024

Técnicos de emergência médica lamentam omissão de cuidados pré-hospitalares de plano

A Associação Nacional dos Técnicos de Emergência Médica (ANTEM) lamentou a omissão dos cuidados pré-hospitalares no plano de emergência para a Saúde, uma área que considera carecer de "medidas profundas de reestruturação".

“Entendemos que ignorar esta área essencial ao SNS (…) parece-nos uma tentativa de omissão para os problemas deste serviço crítico que assume um papel fundamental na vida dos portugueses”, refere a ANTEM numa nota à imprensa. Para a associação, a área dos cuidados pré-hospitalares “carece de medidas profundas de reestruturação e também de um plano de emergência com medidas concretas e urgentes”.

O Governo apresentou na quarta-feira um plano de emergência para a Saúde com medidas para vigorar até 2025 em resposta ao estado que considerou preocupante do setor.

Entre as medidas contam-se a criação de centros de atendimento clínico, para atender situações agudas de menor complexidade e urgência, e 20 unidades de saúde familiar para 180 mil utentes, a atribuição de incentivos para cirurgias oncológicas e um canal de atendimento direto para grávidas.

A ANTEM esperava que entre essas medidas constasse a criação de “uma carreira extensiva a todos os prestadores” de cuidados médicos pré-hospitalares.

Na nota, a ANTEM manifesta a sua incompreensão pela “indisponibilidade do SNS em reestruturar um sistema que falha desde logo pelos atrasos na resposta e pela embaraçosa assimetria do litoral para o interior“.

LUSA

Notícia relacionada

Governo quer primeiras vagas para especialidade de Medicina de Urgência a partir de 2025

Redes Sociais:
Email
X (Twitter)
Visit Us
Follow Me
YouTube
LinkedIn
Share
Instagram
ler mais
Redes Sociais:
Email
X (Twitter)
Visit Us
Follow Me
YouTube
LinkedIn
Share
Instagram
ler mais