7 Abr, 2020

São João disponibiliza máscara a utentes, acompanhantes e fornecedores

O Hospital começa a disponibilizar máscara a todos os utentes admitidos, aos doentes internados, a acompanhantes, visitantes e fornecedores.

Junto de todas estas pessoas vai também ser “promovida a higiene das mãos”, explica o Centro Hospitalar Universitário de São João (CHUSJ) numa norma hoje divulgada, proposta pela UPCIRA – Unidade Prevenção e Controlo da Infeção e Resistência aos Antimicrobianos e aprovada na segunda-feira pelo Conselho de Administração.

A determinação para que “seja promovida a higiene das mãos e disponibilizada máscara cirúrgica” abrange “todos os utentes” na admissão no “Serviço de Urgência, Consulta Externa, Hospital de Dia, para internamento programado ou realização de meios complementares de diagnóstico e terapêutica”, mas também “todos os doentes internados que tolerem, pelo menos durante os períodos de observação clínica ou prestação de cuidados”.

No caso dos doentes internados, a higiene das mãos e a disponibilização de máscara cirúrgica será ainda feita nos “transportes dentro do edifício hospitalar para a realização de procedimentos/exames subsidiários”.

No documento, o CHUSJ refere que a norma 007/2020 da Direção-Geral da Saúde determina que “deve ser fornecida máscara cirúrgica a todos os doentes, com ou sem sintomas respiratórios ou febre, no momento da entrada na unidade de saúde”.

“Por outro lado”, acrescenta, “no sentido de promover uma cultura de segurança, torna-se necessário que, para além dos profissionais de saúde e dos utentes, os eventuais acompanhantes e visitantes também usem máscara cirúrgica no interior do edifício hospitalar”.

Assim, o CHUSJ passa a promover a higiene das mãos e a disponibilizar máscara cirúrgica “a todos os profissionais externos, designadamente fornecedores, trabalhadores de empresas de transportes ou de quaisquer outros que, para desempenho das suas funções necessitem de ter acesso às instalações da instituição e estejam devidamente autorizados para o efeito”.

Os mesmos procedimentos vão ser adotados para “todos os acompanhantes autorizados, nomeadamente das grávidas, crianças e utentes com necessidades especiais”, bem como para “todos os visitantes autorizados”.

A DGS alargou na sexta-feira a recomendação de uso de máscara cirúrgica contra a covid-19 a profissionais “fora das instituições de saúde” que lidem com doentes ou suspeitos e aos que prestam “serviços essenciais” à população.

Na norma publicada na sexta-feira sobre “Equipamentos de Proteção Individual [EPI] para Não Profissionais de saúde”, a DGS diz que a máscara cirúrgica é “aconselhada fora das instituições de saúde” para quem possa “contactar diretamente com doentes suspeitos ou confirmados de covid-19”, bem como “com material utilizado pelos doentes”, nomeadamente “profissionais externos de manutenção de hospitais”, na “limpeza e serviços de alimentação” e na “manutenção de equipamentos” como “sistemas de ar condicionado”.

SO/LUSA

 

[box] Notícias Relacionadas:

Ordem dos Médicos defende revisão dos critérios para uso universal de máscaras

OM defende que a DGS deve rever, com caráter de urgência, os critérios de utilização universal das máscaras, sobretudo nos espaços públicos.

“Não há máscaras suficientes e arranjou-se uma desculpa, dizendo que não são eficazes”

O presidente do Conselho de Escolas Médicas critica a posição da DGS sobre as máscaras e defende que o argumento da sua ineficácia não é verdadeiro.

Enfermeiros duvidam da adequação de máscaras reutilizáveis

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses tem dúvidas sobre a adequação de máscaras cirúrgicas reutilizáveis, que estão a ser fornecidas aos profissionais.

Campanha da SOS.COVID19.PORTUGAL entregou milhares de máscaras e viseiras

O SOS.COVID19.PORTUGAL, angariou 94.021,20 euros em donativos, o que permitiu comprar equipamento para o Santa Maria, Garcia de Orta e São João.

[/box]
ler mais
target="_blank"

RECENTES

target="_blank"
ler mais