2 Abr, 2020

Enfermeiros duvidam da adequação de máscaras reutilizáveis

O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses tem dúvidas sobre a adequação de máscaras cirúrgicas reutilizáveis, que estão a ser fornecidas aos profissionais.

“Tenho andado por todos os hospitais e nunca tinha visto a utilização deste tipo de máscaras“, afirmou Edgar Santos, dirigente no Alentejo do SEP, em declarações à agência Lusa.

Contactado pela Lusa, o presidente da Administração Regional de Saúde (ARS) do Alentejo, José Robalo, limitou-se a dizer que “o sindicato será devidamente informado” e que a questão “será esclarecida entre os profissionais”.

O SEP enviou um pedido de informação urgente à ARS do Alentejo e aos conselhos de administração do Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE) e da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA), que gere o hospital de Beja.

Edgar Santos explicou que o sindicato foi informado por enfermeiros sobre o uso de máscaras cirúrgicas reutilizáveis e que ele próprio, ao ter experimentado uma, ficou “com alguma dificuldade em respirar”.

“Queremos saber se o Instituto Português da Qualidade deu chancela ou não” a este tipo de máscaras, “porque podemos estar a utilizar equipamentos que não têm qualidade”, afirmou o sindicalista.

Quantas vezes pode ser reutilizada, se é esterilizada e que garantias dá esse material que após a lavagem não fica infetado”, questionou.

Segundo o dirigente do SEP, as máscaras cirúrgicas reutilizáveis estão a ser usadas por profissionais dos hospitais de Évora e de Beja, sendo que, até terça-feira, ainda não tinham chegado aos centros de saúde da região.

No pedido de informação, datado de terça-feira, o SEP realçou que existem “muitas dúvidas sobre a adequação destas máscaras ao seu objetivo”, considerando que podem colocar em causa “a segurança com que os enfermeiros estão a trabalhar”.

“As máscaras em causa estão certificadas e seguem os normativos da Direção-Geral da Saúde e do Infarmed? A instituição assume, para todos os efeitos legais, que estas máscaras são adequadas e que garantem a segurança e proteção dos enfermeiros? Qual a ficha técnica das máscaras?”, são as perguntas que constam nos ofícios enviados às autoridades de saúde.

SO/LUSA

 

Notícias Relacionadas:

Enfermeiros criticam limitações de máscaras nos hospitais de Amarante e Penafiel

Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa estará a limitar a utilização de máscaras cirúrgicas, a uma por dia, para cada profissional de saúde.

 

Há 165 profissionais de saúde infetados. São 82 médicos e 37 enfermeiros

Os restantes profissionais com covid-19 estão distribuídos entre outras classes de prestação direta de serviços como assistentes operacionais e assistentes técnicos.

 

Há enfermeiros obrigados a converter isolamento em dias de férias

Denúncia é da Ordem dos Enfermeiros, que denuncia instituições que estão a obrigar estes profissionais a converter esses dias em férias ou a descontar no banco de horas extraordinárias.

ler mais

RECENTES

ler mais