21 Jun, 2024

Próxima campanha de vacinação alarga vacina de alta dose contra a gripe

A próxima campanha de vacinação contra a gripe e a covid-19 deverá decorrer em moldes idênticos à de 2023/224, e vai alargar a vacina de alta dose contra a gripe a pessoas com 85 anos ou mais.

As linhas gerais da próxima campanha de vacinação foram apresentadas pela diretora-geral da Saúde, Rita Sá Machado, segundo a qual a próxima campanha deve começar na segunda quinzena de setembro, prevendo-se que a vacinação em massa decorra entre outubro e dezembro.

Rita Sá Machado, que falava em Lisboa, na última quinta-feira, numa sessão de apresentação dos resultados finais da campanha de vacinação de 2023/2024 e da próxima campanha de 2024/2025, recordou que a última campanha decorreu entre 29 de setembro do ano passado e o final de abril, totalizando mais de quatro milhões de vacinas contra a gripe e contra a covid-19.

Em relação à campanha 2022/2023, manteve-se a cobertura vacinal contra a gripe, mas registou-se uma diminuição da cobertura contra a covid-19, um fenómeno de redução que aconteceu em todo o mundo, adiantou a diretora-geral da Saúde.

Rita Sá Machado afirmou também que, na próxima época, a vacina contra a gripe de dose elevada será alargada a pessoas a partir dos 85 anos e/ou em instituições de apoio, como lares. “O trabalho com os parceiros irá manter-se como aspeto fundamental da campanha”, disse a especialista.

Susana Cardoso, do núcleo de vacinação da Direção Geral da Saúde (DGS), salientou que, na campanha 2023/24, a ampliação do acesso à vacinação (antes centrado nos centros de vacinação), permitiu manter uma cobertura alargada, com as farmácias comunitárias a contribuírem com 70% das vacinas administradas.

Teresa Fernandes, também do núcleo de vacinação da DGS, disse que a próxima campanha de vacinação será de consolidação da anterior, com o alargamento da vacina de alta dose contra a gripe e “o desafio” de tentar contrariar a tendência de diminuição da vacinação contra a covid-19.

Na próxima campanha será mantida a vacinação nas farmácias e nas unidades de cuidados de saúde primário. A prioridade centrar-se-á nas pessoas com patologias de risco, profissionais de saúde e pessoas em instituições como lares ou prisões, atingindo, depois, a restante população, a partir dos 60 anos.

As farmácias, que já vacinam pessoas com mais de 60 anos, vão incluir a vacinação gratuita com a vacina de alta dose contra a gripe para a população elegível, indicou Teresa Fernandes, segundo a qual a DGS espera vacinar contra a gripe entre 70% e 75% das pessoas com 65 anos ou mais, e aumentar a cobertura nas pessoas entre os 60 e os 64 anos.

Em relação à covid-19, os grupos de risco e as pessoas elegíveis vão manter-se, e a DGS, segundo Teresa Fernandes, pretende manter pelo menos a mesma cobertura de vacinação da última época.

As vacinas disponíveis serão adaptadas às variantes em circulação.

 

LUSA

Notícia relacionada

Estudo estima que vacinação nas farmácias tenha poupado 2,4 milhões de euros aos utentes

Redes Sociais:
Email
X (Twitter)
Visit Us
Follow Me
YouTube
LinkedIn
Share
Instagram
ler mais
Redes Sociais:
Email
X (Twitter)
Visit Us
Follow Me
YouTube
LinkedIn
Share
Instagram
ler mais