24 Fev, 2020

Mortes por pneumonia alastram e já representam mais de 5% do total

Número de mortes voltou a aumentar, bem como a taxa de mortalidade por cada 100 mil habitantes. Homens são agora os mais afetados

A pneumonia foi a terceira causa de morte em Portugal em 2018, logo a seguir às doenças cerebrovasculares e à doença isquémica do coração, segundo os dados divulgados pelo INE.

Registaram-se 5.764 mortes por pneumonia em 2018, mais 2,5% (141 óbitos), em comparação com o ano anterior. Também a taxa de mortalidade por pneumonia por cada 100 mil habitantes está a crescer: ficou nos 55,9 mortes em 2018, quando tinha sido de 54,6 em 2017.

Em 2018, as mortes por pneumonia atingiram principalmente os homens, com uma relação de 103 homens por cada 100 mulheres, ao contrário do registado em 2017, em que a relação foi de 93,3 óbitos de homens por 100 de mulheres, para os residentes em Portugal.

A idade média ao óbito verificada para 2018 foi de 82,3 anos para as mulheres, inferior em cerca de três anos à dos homens (85,6 anos). No topo das causas de morte estão as doenças cerebrovasculares (11.235 – 29%), seguidas pela doença isquémica do coração (7.241 – 6,3%).

No ano de 2018, segundo o INE, as doenças do aparelho respiratório causaram 13.305 óbitos, com um aumento de 3,8% em relação ao ano anterior (12.819 óbitos). Representam já 11,7% da mortalidade total ocorrida no país.

No conjunto das doenças respiratórias, são também relevantes as mortes por doença pulmonar obstrutiva crónica, com 2.834 óbitos, representando 2,5% do total da mortalidade e com um aumento de 7,9% face a 2017.

Com menor importância em relação à mortalidade global, o INE salienta os aumentos significativos nos totais de mortes por gripe (influenza) (205 óbitos) e por asma (142 óbitos).

TC/SO

ler mais