21 Jun, 2024

OMS alerta para falsificação de três lotes de medicamento para tratar a diabetes tipo 2

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou um alerta sobre falsificação de três lotes do medicamento Ozempic, comercializado em vários países, incluindo Portugal, para tratar a diabetes tipo 2 e a obesidade.

O alerta, divulgado em comunicado, visa três lotes da marca Ozempic, detetados em outubro no Brasil e Reino Unido, e em dezembro nos Estados Unidos.

A OMS aconselha os profissionais de saúde e as autoridades reguladoras a estarem atentas e a cessarem a venda e o uso dos fármacos em causa.

Os lotes de Ozempic visados (na forma injetável) deturpam a sua identificação e origem, uma vez que não foram fabricados pela farmacêutica dinamarquesa Novo Nordisk, refere a OMS.

De acordo com a organização, o número de lote LP6F832 (detetado no Brasil) não é reconhecido, a combinação do número de lote NAR0074 com o número de série 430834149057 (identificado nos Estados Unidos) não corresponde ao registo de fabrico genuíno e o número de lote MP5E511 (encontrado no Reino Unido) é autêntico, mas o medicamento é falso.

Para melhor identificar os fármacos, a OMS aconselha as autoridades e o público em geral a verificarem o número de lote e o número de série, a examinarem a caneta de administração do medicamento (as canetas Ozempic falsificadas podem ter uma escala que se estende para fora da caneta ao definirem a dose), a avaliarem a qualidade do rótulo (a etiqueta pode ser de má qualidade e não aderir bem à caneta) e a procurarem erros ortográficos (a embalagem pode ter erros deste tipo).

A OMS adverte que a utilização do medicamento Ozempic falso pode resultar no tratamento ineficaz dos doentes devido à dosagem incorreta, contaminação com substâncias nocivas ou uso de ingredientes desconhecidos ou substituídos.

“Pode representar outros riscos graves para a saúde devido à sua administração por injeção subcutânea”, alerta a agência da ONU, recomendando que as pessoas comprem medicamentos com receita de médicos licenciados e evitem a aquisição através de fontes desconhecidas ou não verificadas, como a internet.

O Ozempic tem como substância ativa o semaglutido, usado principalmente no tratamento da diabetes tipo 2, pois ajuda a baixar os níveis de açúcar no sangue, reduzindo o risco de complicações cardiovasculares.

Apesar dos benefícios da substância no tratamento da diabetes, a OMS desaconselha o seu uso devido ao elevado custo do fármaco.

A substância revelou-se também eficaz na perda de peso em adultos obesos ou com excesso de peso com problemas de saúde associados, uma vez que suprime o apetite.

Segundo a OMS, desde o final de 2022 tem havido uma procura crescente do fármaco, especialmente desde que determinadas marcas foram aprovadas para a perda de peso em alguns países.

A Organização Mundial da Saúde avisa que a grande procura do medicamento para emagrecer “está provavelmente” a levar à produção falsificada do fármaco.

Em Portugal, o Ozempic, autorizado e comparticipado para o tratamento da diabetes de tipo 2, esgotou-se em finais de 2023 devido à sua prescrição para a perda de peso.

 

LUSA

Notícia relacionada

Diabetes. “A população sabe fazer escolhas saudáveis, mas é condicionada por fatores como o horário laboral”

Redes Sociais:
Email
X (Twitter)
Visit Us
Follow Me
YouTube
LinkedIn
Share
Instagram
ler mais
Redes Sociais:
Email
X (Twitter)
Visit Us
Follow Me
YouTube
LinkedIn
Share
Instagram
ler mais