1 Fev, 2019

MIT cria comprimido-balão para vigiar úlceras e tumores no estômago [com vídeo]

Dispositivo pode ser facilmente esvaziado em qualquer altura e pode permitir, no futuro, que sejam transportadas microcâmaras até ao estômago de pacientes.

Uma equipa de investigadores do Massachusetts Institute of Technology (MIT) desenvolveu um comprimido insuflável que pode ser usado para acompanhar a evolução de lesões no estômago, como úlceras ou tumores. O comprimido, cujo tamanho aumenta até 100 vezes em apenas 10 minutos, tem a capacidade de medir os níveis de pH gástrico e os níveis de glicose.

O comprimido, em forma de cápsula de hidrogel, foi criado por quatro cientistas da equipa de Engenharia Mecânica do MIT. Assim que chega ao estômago, o comprimido começa a reter o fluido gástrico através de macroporos na sua membrana exterior extensível, permitindo que os polímeros interiores absorventes aumentem de tamanho. O tamanho que o balão que se forma atinge é controlado, pela quantidade de polímeros que se colocam no comprimido.

Quando a monitorização terminar, ou o doente quiser, por qualquer razão, esvaziar o comprimido, basta-lhe ingerir cloreto de cálcio.

Já existem comprimidos que insuflam no estômago mas nenhum atinge dimensões semelhantes a este (que pode crescer até ao ficar do tamanho de uma bola de pingue-pongue) e demoram pelo menos dez dias a crescer até ao ponto máximo. A evolução é notória, já que a cápsula do MIT demora 10 minutos a insuflar.

Por agora, os testes têm sido efetuados em porcos, animais que sistemas digestivos semelhantes aos dos humanos, durante 30 dias. A confirmar-se a capacidade de o comprimido resistir dentro do estômago, a técnica pode ser utilizada no futuro, dizem os cientistas, para transportar sensores e até microcâmaras que permitam aos médicos acompanhar a evolução de tumores estomacais e fazerem alterações mais precisas na terapêutica.

Tiago Caeiro

ler mais

RECENTES

ler mais