20 Mar, 2020

Médicos do São João acedem remotamente à informação dos doentes

Clínicos podem, assim, realizar teletrabalho, monitorizar os seus doentes, fazer consultas não presenciais e prescrever fármacos de forma desmaterializada.

“O CHUSJ flexibilizou os meios de acesso remoto às suas plataformas digitais de gestão de informação clínica, de forma a garantir e reforçar uma resposta mais integrada do ponto de vista clínico, permitindo que os médicos possam fazer uso, sempre que necessário, de meios tecnológicos para continuarem no exercício da sua missão de prestação de cuidados num ambiente seguro, para os utentes e colaboradores, nesta fase particularmente exigente”, refere em comunicado.

Na nota, a unidade de saúde explicou que, desta forma, está a contribuir “ativamente” para o apoio dos doentes crónicos e dos mais vulneráveis.

Por outro lado, foi alargado o plafond dos telemóveis de uso na instituição, para que os médicos possam fazer telefonemas para os seus doentes, utilizando os equipamentos e a rede da instituição, sublinhou.

O hospital salientou que, desta forma, os profissionais poderão realizar tarefas remotamente, sempre que necessário, tais como consultas não-presenciais por telefone, relatos de exames – como por exemplo radiologia e neurorradiologia -, bem como aqueles que estejam em período de quarentena poderão apoiar, à distância, os seus colegas na prestação de cuidados.

Para fazer uso de acesso remoto para aceder à informação clínica do CHUSJ, os médicos têm o apoio de um tutorial de apoio técnico criado pelo Serviço de Sistemas e Tecnologias da Informação e Comunicação.

SO/LUSA

ler mais

RECENTES

ler mais