11 Mai, 2021

Manuel Carrageta é o novo presidente da Sociedade Portuguesa de Geriatria e Gerontologia

No passado dia 8 de maio realizou-se a eleição dos novos corpos sociais da SPGG,

O Prof. Dr. Manuel Carrageta, presidente da Fundação Portuguesa de Cardiologia, é agora também o presidente da Sociedade Portuguesa de Geriatria e Gerontologia.

A eleições dos órgãos sociais decorreu no último sábado, dia 8 de maio. Como vice-presidentes foram eleitos o Prof. Ovidio Cosya, o Dr. António Leuschner, o Prof. Frederico Teixeira, a Drª. Maria João Quintela, o Prof. Manuel José Lopes e o Dr. Rui Leão Martinho.

Na tomada de posse, Manuel Carrageta proferiu as seguintes palavras:

“O aumento da esperança de vida e o consequente elevado número de pessoas idosas no nosso País, levanta novos desafios, nomeadamente exigindo cuidados médicos e apoios sociais específicos e complexos, a que é necessário responder de forma adequada. A Sociedade Portuguesa de Geriatria e Gerontologia congrega um grupo relevante de personalidades do mais alto nível, das várias áreas do saber gerontológico e geriátrico, que irão enriquecer, com os seus conhecimentos, talentos e perspetivas, esta Sociedade Científica, que tem como principal objetivo contribuir para melhorar o bem-estar e a saúde das pessoas mais idosas.

A recente pandemia, veio chamar a atenção para estes aspetos, ao atingir sobretudo os mais velhos, com 96% dos mortos pertencendo ao grupo etário com mais de 60 anos. Por outro lado, é sabido que o confinamento e o isolamento, foram particularmente mais lesivos para as pessoas com idades mais avançadas.

A SPGG com uma história de quase 70 anos, quer desenvolver um espaço de debate e atualização científica estimulante sobre os temas mais importantes do envelhecimento e das patologias especificas das pessoas idosas, reforçando a colaboração com outras instituições nacionais e internacionais relevantes das áreas científica e social.  Um outro importante desafio para a SPGG será contribuir para a formação e treino dos profissionais de saúde, que deverão ser reorientados para a aprendizagem da gestão das síndromas geriátricas, das doenças cronicas e das multipatologias. A avaliação geriátrica global, ao apoiar estratégias mais adequadas de gestão do doente idoso, irá melhorar a qualidade dos cuidados multidisciplinares prestados a estes doentes, que caracterizam a nova realidade da medicina contemporânea.

Neste mandato vamos continuar a manter e aperfeiçoar as principais atividades de grande sucesso, tais como o Congresso Anual e o Curso pós-graduado de Geriatria, este sob formato predominantemente digital, para além de outras realizações que a seu tempo serão anunciadas. Iremos também relançar a Revista Portuguesa de Geriatria, numa primeira fase em formato digital, evoluindo mais tarde para uma edição em papel.

A terminar, desejo que seja possível, através de um trabalho conjunto interdisciplinar, melhorar a saúde e o bem-estar da nossa população com idades mais avançadas, que estiveram e continuam a estar particularmente ameaçadas pela ainda presente crise pandémica”.

ler mais

RECENTES

ler mais