23 Abr, 2021

“Há que promover uma cultura da valorização da saúde e não da inevitabilidade da doença”

A médica de família Teresa Laginha instiga todas as mulheres a não descurarem os hábitos de observações clínicas regulares, de forma a prevenir problemas tipicamente associados à idade geriátrica.

Porque tão importante como somar anos à vida é dar mais vida aos anos, a prevenção dos problemas tipicamente associados à idade geriátrica deve começar bem cedo. Quem o diz é a médica de família Teresa Laginha, que instiga todas as mulheres a não descurarem os hábitos de observações clínicas regulares, a par da adoção de estilos de vida saudáveis.

  

Que condições são necessárias para afirmar que uma mulher já está na fase/faixa etária geriátrica?

A menopausa, fim do período da capacidade reprodutiva, marca uma viragem do ponto de vista hormonal, que condiciona alterações bioquímicas nos indivíduos do sexo feminino. Estas traduzem-se em alterações fisiológicas a nível da pele e mucosas, dos ossos, e cardiovasculares.

Com o aumento da esperança de vida e os progressos terapêuticos, a menopausa está cada vez mais dissociada do conceito de início da idade geriátrica na mulher. Mais do que a idade, penso que é a perda de autonomia que está mais associada ao início da idade geriátrica.

 

As mulheres são mais afetadas pelo avançar da idade, em algum aspeto, do que os homens?

Penso que as mulheres são mais afetadas pela idade do que os homens, se a perspetiva for relativamente à sua imagem corporal. As rugas, os cabelos brancos, o aumento de peso, são mais naturalmente aceites socialmente no universo masculino do que no feminino. Determinadas profissões, meios sociais, e culturas também são fatores que têm influência na forma como é visto o envelhecimento em cada género.

 

Quais as doenças que mais afetam as mulheres quando atingem esta fase da sua vida?

Tanto mulheres e como homens, com o avançar da idade, são afetados por patologias cardiovasculares, oncológicas, osteoarticulares, cognitivas e psiquiátricas, com algumas variações entre os dois géneros. As mulheres têm uma maior esperança média de vida do que os homens.

 

A assistência dada em Portugal a estas pessoas suprime as necessidades básicas de proteção da sua saúde, bem como social?

Os recursos em saúde – em que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) é o garante universal dos cuidados de saúde à população portuguesa – está progressivamente a identificar meios para fazer face a outras necessidades específicas das pessoas mais idosas.

As autarquias e outras estruturas sociais, têm um papel importante na identificação de recursos dirigidos a este grupo etário.

 

Que trabalho ainda há por fazer em matérias de prevenção da saúde, de modo a ter uma população mais saudável em idades mais avançadas?

Iniciar atitudes preventivas em idades mais jovens, valorizar as consultas preventivas, informar, promover uma cultura da valorização da saúde e não da inevitabilidade da doença, medidas sociais e económicas, que pr.

 

Que conselhos deixa às mulheres portuguesas para envelhecerem com qualidade de vida?

Do ponto de vista da saúde física e mental, que tenham hábitos de observações clínicas regulares e a adoção de estilos de vida saudáveis.

Do ponto de vista familiar e profissional, que cultivem a partilha de tarefas domésticas. Que contrariem o estereotipo de que o tempo em que desenvolvem atividades pessoais prejudica os papeis que habitualmente desempenham em casa e/ ou no trabalho. Que preparem e antecipem a reforma, a saída de casa dos filhos com a identificação de projetos pessoais em que se sintam valorizadas.

Do ponto de vista individual, que não se esqueçam ao longo da vida de terem tempo para atividades que lhe deem prazer, para a atividade física, bem como para descansar. Que sejam curiosas e criativas. Que tenham presente que só nos lembramos como é bom ter saúde quando adoecemos.

Daniela Tomé

Notícias relacionadas:

ler mais

RECENTES

ler mais