O Sindicato Independente dos Médicos (SIM) garante que existe apenas um médico especialista a assegurar toda a área de internamento COVID+ (atualmente constituída por 3 enfermarias e com a lotação máxima de 125 camas) das 20h às 8h diariamente, no Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho (CHVNGE).

Em comunicado, o SIM refere que esta situação coloca em risco aos doentes internados e aumenta a possibilidade acrescida de erro/negligência por parte do único médico escalado.

Neste momento, estarão ocupadas já 95 das 125 camas desta unidade de internamento, com doentes “com variadas e graves patologias”. “O especialista é ‘apoiado’ apenas por um Interno de especialidade (habitualmente Internos de especialidades cirúrgicas do 1º ano)”, denuncia o sindicato.

“A situação é do pleno conhecimento do sr. presidente do CA do CHVNGE, que prometeu informalmente que a escala iria ser reforçada… mas o que se viu quanto a reforços foi meramente a de um esforçado interno da área cirúrgica”, conclui o SIM.
SO
ler mais