7 Abr, 2022

Faltam médicos na urgência interna do hospital de Vila Franca de Xira

Sindicato dos Médicos diz que está em causa a prestação de cuidados de saúde a cerca de 150 utentes internados em vários serviços do hospital de Vila Franca de Xira.

O Sindicato Independente dos Médicos (SIM) alertou  para a falta de clínicos no serviço de urgência interna do Hospital de Vila Franca de Xira, no distrito de Lisboa, uma situação negada pela administração hospitalar.

Em declarações à agência Lusa, o secretário-geral do SIM, Jorge Roque da Cunha, afirmou que nos últimos meses tem-se assistido “a uma progressiva degradação da capacidade do Hospital de Vila Franca de Xira de responder às necessidades dos utentes”.

“Há meses que as equipas dos serviços de urgência, para além de desfalcadas, têm cada vez mais prestadores de serviços, muitos deles sem especialidade de medicina interna. Apesar das nossas chamadas de atenção e apelos, a situação tem-se agravado. A indicação que tivemos é que os médicos que fazem urgência interna passem a também a ter responsabilidade na urgência externa”, referiu.

Jorge Roque da Cunha alertou para o facto de estar em causa a prestação de cuidados de saúde aos cerca de 150 utentes internados nos serviços de medicina interna, unidade de AVC (Acidente Vascular Cerebral) e unidade de Pneumologia.

“Não é possível ter um conselho de administração que pense que existe o poder de omnipresença. Um médico não pode estar a fazer duas tarefas ao mesmo tempo. Alertamos os nossos associados para que não embarquem numa situação dessas”, apontou.

O secretário-geral do SIM sublinhou que a administração do Hospital de Vila Franca de Xira já foi alertada para a situação, mas “até agora não deu qualquer resposta”.

“Apelamos a que essa medida seja revertida. É essencial que aquele hospital responda à urgência externa e também garanta às pessoas que estão internadas o devido acompanhamento. Não é admissível que se desproteja”, salientou.

Contactada pela Lusa, fonte da administração do Hospital de Vila Franca de Xira negou as acusações feitas pelo SIM, garantindo que continua a existir uma escala de serviço de urgência interna, “assegurada por médicos especialistas do serviço de medicina interna”.

“Pontualmente, e face ao grande afluxo de doentes que recorrem ao Serviço de Urgência, pode a equipa médica deste serviço ser reforçada com o contributo do médico que está escalado para a urgência interna. Este procedimento verifica-se há vários anos neste hospital, tendo no passado mês de março ocorrido por quatro vezes, em quatro turnos noturnos”, esclareceu a administração, acrescentando que, durante o mês de abril, essa situação ainda não se verificou.

Entretanto, também hoje, o Sindicato dos Enfermeiros (SE) emitiu uma nota para dar conta que teve uma reunião com a administração do Hospital de Vila Franca de Xira e que esta admitiu a carência de 49 enfermeiros “para suprir necessidades”.

“O conselho de administração do Hospital de Vila Franca de Xira admitiu que existe uma carência de 49 enfermeiros. O que nos foi transmitido é que, apesar da necessidade de contratar mais profissionais, todos os processos ficaram parados até à tomada de posse do novo governo”, indicou o presidente do SE, Pedro Costa, citado na nota.

No entanto, os dirigentes do SE ressalvam que a administração do HVFX garantiu que “tal situação apenas se verifica em situações muito específicas”.

Em resposta a esta nota, fonte da administração do Hospital de Vila Franca de Xira confirmou à Lusa que um dos aspetos abordados na reunião com o SE foi a necessidade de aumentar o número de enfermeiros especialistas, uma vez que no HVFX “apenas 5,4%” destes profissionais fazem parte do quadro.

“Um dos aspetos referidos na reunião foi o processo em curso de passagem das 40 horas para as 35 horas de horário semanal, situação que originará a necessidade de contratação de mais 49 enfermeiros para colmatar a diferença de horas de prestação de cuidados de enfermagem, que decorrerá da redução de cinco horas de trabalho semanal de cada enfermeiro”, explicou a administração do HVFX.

A mesma fonte adiantou ainda que, desde junho de 2021, terminaram “as situações de duplos vínculos laborais, onde um mesmo profissional podia ter mais que um vínculo profissional, reconhecendo o conselho de administração que tal obrigou alguns profissionais a reorganizarem as suas rotinas profissionais”.

O Hospital de Vila Franca de Xira serve cerca de 250 mil habitantes dos concelhos de Alenquer, Arruda dos Vinhos, Azambuja, Benavente e Vila Franca de Xira.

LUSA

Notícia Relacionada

Serviços de urgência do Hospital de Vila Franca de Xira “comprometidos” por falta de enfermeiros

ler mais

RECENTES

ler mais