30 Set, 2022

Falta de médicos. “A Cardiologia do Hospital de Portimão está em completa rutura”

O Hospital de Portimão conta, neste momento, com apenas um cardiologista a tempo inteiro, alerta o ex-diretor do serviço, que "fala num grave problema de saúde a nível local".

A Cardiologia é uma das especialidades mais afetadas pela crónica falta de médicos de saúde no Algarve. No Hospital de Portimão, há apenas um cardiologista a tempo inteiro para dar resposta a uma população de cerca de 60 mil pessoas (não contabilizando o aumento populacional do período do verão).

“O Hospital de Portimão não está em défice, está em completa rutura”, diz, ao SaúdeOnline, o cardiologista José Coucello, ex-diretor do serviço de Cardiologia do Hospital de Portimão e que trabalha atualmente numa rede de clínicas privadas da região.

O défice de especialistas em Cardiologia estende-se também ao hospital de Faro, o maior da região, que se vê obrigado a recusar doentes vindo do Barlavento (Portimão) por falta de capacidade de resposta, avança José Coucello. Perante este cenário, muitas pessoas não têm outra opção senão recorrer ao setor privado de saúde, em acelerado crescimento no Algarve nos últimos anos.

José Coucello, que trabalha na região há 36 anos, distingue várias fases quanto à capacidade de resposta desta especialidade. “Nos primeiros anos, percebi que tínhamos de enviar muitos doentes para Lisboa por falta de meios para os tratar no Algarve; depois, a situação melhorou com o aparecimento do Hospital do Barvalento (Portimão), que chegou a ter cinco cardiologistas; de 2005 para cá, tem vindo a degradar-se muito. É um problema de saúde grave a nível local”, sublinha o especialista.

SO

Notícia Relacionada

Em plena pandemia, Hospital de Portimão encerra Cuidados Intensivos para obras
Print Friendly, PDF & Email
ler mais

RECENTES

Print Friendly, PDF & Email
ler mais