23 Ago, 2018

Escola Superior de Saúde de Portalegre transferida devido ao aumento de alunos

A transferência da escola para o campus do Instituto Politécnico de Portalegre (IPP), situado junto à zona industrial da cidade, vai decorrer gradualmente ao longo do próximo ano letivo, que arranca em 17 de setembro.

A Escola Superior de Saúde de Portalegre (ESSP), situada junto ao hospital daquela cidade desde 1972, vai ser transferida para um novo espaço devido ao “aumento progressivo” de alunos, informou hoje o diretor do estabelecimento de ensino.

“Nós temos tido um aumento progressivo do número de alunos e este ano vamos ter mais um mestrado a funcionar também com um número elevado de alunos, por isso cada vez é mais difícil ter disponibilidade de espaço”, lamentou o diretor da ESSP, Adriano Pedro, em declarações à agência Lusa.

“Este ano foi o culminar, isto tem vindo a agravar-se de forma progressiva e deparamo-nos com uma situação de não ter uma capacidade de resposta em termos de espaço físico”, acrescentou. A ESSP conta com mais de 500 alunos, tendo sido inaugurada em 1972 com 90 alunos.

“Ao longo dos anos a escola sofreu alterações, só que chega a uma altura que não há mais alterações possíveis”, sublinhou.

No âmbito desta mudança faseada para o campus do IPP, no início do ano letivo vão ser transferidos para o novo espaço os alunos do primeiro ano de enfermagem e os que frequentam o mestrado. “Nesta primeira fase vão os alunos do primeiro ano (cerca de 100) e os do mestrado em enfermagem (cerca de 120), e depois vamos fazendo a mudança progressiva durante o ano letivo”, disse.

O diretor da ESSP explicou que a mudança não é imediata na totalidade porque as salas que vão acolher a escola no campus do IPP necessitam de “algumas adaptações”, nomeadamente “toda a parte” dos laboratórios de enfermagem e higiene oral.

Contactado pela Lusa, o vice-presidente do IPP, Luís Loures, referiu que a direção do politécnico “ainda não tem definido” na sua agenda o futuro a dar ao edifício que alberga a escola desde 1972. “Há um conjunto de hipóteses que terão sempre de ser discutidas com o município, com aquilo que possa ser, eventualmente, a melhor utilidade a dar àquele espaço e que possa beneficiar o politécnico, mas também a cidade”, disse.

O IPP é formado pelas escolas superiores de Educação, Tecnologia e Gestão, Saúde e Agrária de Elvas.

LUSA

ler mais

RECENTES

ler mais