Diabetes e insuficiência cardíaca: a relação perigosa desconhecida pelos doentes

Médica cardiologista Sara Gonçalves confirma que são muitos também os médicos que não estão alertados para o problema.

No Dia Europeu da Insuficiência Cardíaca, que se assinala hoje, a cardiologista Sara Gonçalves explica que a prevalência de insuficiência cardíaca (IC) é 2,5 vezes superior nas pessoas com diabetes, o que significa que esta doença é, não só, um dos fatores de risco da doença coronária, como também “uma das principais causas de IC.”

A associação entre as duas doenças permanece, no entanto, desconhecida da maioria das pessoas e é “raramente identificada como uma potencial complicação“, refere a médica. Esta realidade é partilhada pelos clínicos, sendo uma “complicação para a qual nem todos os colegas e especialidades estão alertas e que nem sempre é abordada nas consultas de diabetes”, acrescenta a especialista.

Sara Gonçalves confirma que “a IC é uma doença crónica, em que o coração não bombeia a quantidade de sangue suficiente por minuto, capaz de satisfazer todas as necessidades de nutrientes e oxigénio do organismo, necessário para o bom funcionamento do corpo”.

Isto significa que “o coração tem dificuldade em funcionar para corresponder às necessidades do seu organismo (especialmente durante as atividades físicas) e simultaneamente, dificuldade em eliminar líquidos, levando à sua acumulação. Como tal, as pessoas com diabetes apresentam frequentemente cansaço e falta de ar quando fazem atividades como caminhar ou subir escadas, falta de ar na posição deitada e edema dos membros inferiores”, acrescenta ainda.

A boa notícia é que existem formas da pessoa com diabetes tentar evitar esta complicação, sendo fundamental “manter o seguimento pelo médico assistente, com controlo da doença e dos restantes fatores de risco cardiovasculares (hipertensão arterial, tabagismo, obesidade, dislipidemia)”, atesta a especialista.

SO/CO

 

[box] Notícias Relacionadas:

Webinar “Olhar a Diabetes através da COVID-19” hoje às 18h. Inscreva-se

A primeira edição do Float Health Lesson decorre amanhã e junta especialistas numa abordagem, entre pares, a casos práticos e best practices na área da Diabetes.

Semaglutido oral aprovado para o tratamento de adultos com diabetes tipo 2 na UE

Fármaco destina-se ao tratamento de adultos com diabetes tipo 2, insuficientemente controlada, para melhorar o controlo glicémico e atuar como um complemento à dieta e ao exercício.

[/box]
ler mais

RECENTES

ler mais