Dia Internacional do Idoso – Conselhos sobre a alimentação e cuidados a ter com a medicação
Médico (aposentado) de Clínica Geral, autor do livro “Saber Envelhecer - Uma viagem pela saúde dos seniores” (LIDEL)

Dia Internacional do Idoso – Conselhos sobre a alimentação e cuidados a ter com a medicação

A propósito do Dia Internacional do Idoso, que se comemora todos os anos no dia 1 de outubro, venho apresentar um pequeno texto relativo a dois problemas de saúde comuns neste grupo etário, apresentando alguns conselhos que podem ser úteis e que respondem a algumas questões que se colocam no dia a dia dos “seniores”. O primeiro aborda alguns aspetos da alimentação e o segundo é dedicado àqueles idosos que estão medicados com um grande número de fármacos.

Alimentação no Idoso – beber bastante água e comer alimentos variados, dando preferência aos de origem vegetal, são princípios básicos de uma alimentação saudável. Os alimentos têm texturas e sabores muito diferentes, possuindo também nutrientes muito diversos e que se complementam entre si, daí a importância de termos uma alimentação variada.

Os alimentos de origem vegetal, como os produtos hortícolas, as leguminosas, as frutas e os cereais, são ricos em fibras, vitaminas e sais minerais e devem constituir mais de dois terços da nossa alimentação.

Apresento, em seguida, alguns conselhos relativos à alimentação das pessoas idosas: adapte a consistência dos cozinhados à sua capacidade de mastigar; beba água regularmente, mesmo não sentindo sede; coma periodicamente, a intervalos de cerca de 3 horas; escolha um padrão de comida saudável e variada, com uma quantidade de calorias adequada à sua idade e ao tipo de exercício físico que executa;

Polifarmácia – este termo aplica-se aos casos em que uma pessoa idosa toma cinco ou mais medicamentos diferentes e pretende chamar a atenção para o maior risco que esses seniores têm de virem a desenvolver efeitos adversos resultantes da toma de tantos fármacos. Os seniores podem ter várias doenças crónicas, como insuficiência cardíaca, hepática ou renal, que vão influenciar o modo como os medicamentos atuam e são eliminados pelo organismo. Para diminuir a probabilidade de uma pessoa idosa ter efeitos secundários decorrentes da sua medicação, há algumas precauções que devem ter, nomeadamente: nunca tome medicamentos que foram prescritos para outra pessoa e não para si; não saia do consultório médico com dúvidas relativas à forma como deve tomar os medicamentos que lhe foram prescritos, para que servem e durante quanto tempo os deve tomar; não coloque os medicamentos em locais demasiado húmidos ou quentes, nem de modo a receberem luz direta do sol.

Estes e muitos outros temas da saúde do idoso estão tratados em mais pormenor no livro Saber Envelhecer – uma viagem pela saúde dos seniores, que acabei de escrever e que podem encontrar nas bancas na segunda quinzena de outubro.

Print Friendly, PDF & Email
ler mais

RECENTES

Print Friendly, PDF & Email
ler mais