17 Set, 2020

Covid-19: ministra diz que SNS irá disponibilizar 21.700 testes por dia

Atualmente, SNS disponibiliza 14.413 testes diários à Covid-19, assegurando 48% da testagem. Aumento da capacidade implica investimento de 8,4 milhões de euros.

A ministra da Saúde adiantou ontem que a capacidade de testagem da covid-19 está a ser aumentada e que o objetivo é ter disponíveis 21.700 testes diários apenas no Serviço Nacional de Saúde (SNS).

A informação avançada por Marta Temido ocorreu durante a conferência de imprensa regular para atualização de informação sobre a pandemia de covid-19 em Portugal. Como lembrou a responsável, a capacidade de testagem tem vindo a ser alterada, tendo começado por uma situação em que apenas o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge fazia testes para uma em que há uma rede de 102 prestadores, de laboratórios e hospitais do Estado a laboratórios privados e universidades.

De acordo com a ministra, o SNS é responsável por 48% dos testes, com um número atual de 14.413 testes diários.  “O objetivo é disponibilizar 21.700 testes por dia, apenas no SNS”, pelo que está a ser feito um investimento de 8,4 milhões de euros.

Marta Temido informou também que os parceiros privados e as universidades têm uma capacidade de 6.700 testes por dia e potencial para atingirem 11.000 testes diários.

Nesse sentido, sublinhou que foi assinado ontem um protocolo entre o Instituto de Medicina Molecular, a Fundação Francisco Manuel dos Santos e a Cruz Vermelha Portuguesa, “que possibilita o acesso a 3.500 testes por dia”.

Ainda relativamente ao número de testes, a responsável pela pasta da Saúde disse que até ao momento o dia em que se realizaram mais testes foi 11 de setembro, com 21.976, alguns de repetição.

Na conferência de imprensa, a ministra acrescentou ainda que está a ser preparado um plano para fazer face ao outono e o inverno e que a aplicação Stayaway covid já tinha sido descarregada, até ontem de manhã, 879 mil vezes e que tinham sido introduzidos 23 códigos, de 23 pessoas que estão positivas à doença.

Já a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, também presente na conferência de imprensa, afirmou que também que está a ser criado um grupo que fará uma “proposta de um referencial sobre eventos de massas”, dada a nova fase da epidemia, da dinâmica dos vírus e do conhecimento que se tem dele. Esse referencial será adaptável consoante as circunstâncias e o tipo de eventos e de circulação das pessoas.

Lusa/SO

ler mais

RECENTES

ler mais