2 Out, 2020

Covid-19. Hospitais pedem camas uns aos outros na região de Lisboa

Responsáveis hospitalares criticam modelo atual e reclamam gestão centralizada das camas. Em LVT, 74% das camas em UCI já estão ocupadas.

Sete meses depois do primeiro caso de Covid-19 confirmado em Portugal, a gestão das camas destinadas a estes doentes nos hospitais de Lisboa e Vale do Tejo (LVT) ainda não foi centralizada. Cada hospital tem fazer a sua própria gestão, cabendo-lhe solicitar camas a outras instituições em caso de necessidade, avança o jornal Público.

Quando as camas disponíveis para internar doentes infetados com SARS-CoV-2 se esgotam, os hospitais têm de “fazer das tripas corações” para garantirem mais vagas nas enfermarias ou nos cuidados intensivos, explica um responsável hospitalar. Os contactos entre vários hospitais sucedem-se. Quando não há acordo, a negociação tem de ser mediada pela Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo.

O presidente da Associação Portuguesa dos Administradores Hospitalares reclama uma “coordenação operacional de meios” e uma gestão centralizada das camas. “Os hospitais estão a dar o máximo, mas estão a funcionar cada um por si”, sublinha Alexandre Lourenço.

O problema não é exclusivo da região de LVT mas é aqui, ao contrário do que aconteceu no início da pandemia, que os hospitais estão agora mais pressionados – com uma taxa de ocupação de camas em crescendo. Embora a ministra garanta que a capacidade de internamento é extensível, a verdade é que 74% das camas nas Unidades de Cuidados Intensivos já estão ocupadas em LVT.

TC/SO

ler mais

RECENTES

ler mais