28 Jul, 2021

Cancro do pulmão. Especialistas reforçam impacto do tabaco na projeção da doença

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde, o cancro do pulmão é a principal causa de morte por doença oncológica em Portugal.

A propósito do Dia Mundial do Cancro do Pulmão (1 de agosto), o Grupo de Estudos do Cancro do Pulmão (GECP) alerta para a importância da cessação tabágica para impedir o desenvolvimento da patologia, reforçando que este tipo de carcinoma é a principal causa de morte por doença oncológica em Portugal.

“Para além de constituir o cancro mais frequente no mundo, a incidência do cancro do pulmão aumenta a um ritmo de 0,5% por ano, o que significa que é preciso reforçar a sensibilização para este tipo de cancro”, no sentido de travar esta projeção, começou por esclarecer a presidente do GECP, Teresa Almodôvar.

“A aposta na prevenção é prioritária”, defende, uma vez que a maioria dos doentes são diagnosticados já em estado mais avançado, devido ao desenvolvimento silencioso da doença. Segundo revela, é “somente com a eliminação do tabagismo” que “os casos de cancro do pulmão podem ser reduzidos”, sendo essencial “começar pela cessação tabágica”.

Até “mesmo após o diagnóstico, deixar de fumar faz toda a diferença”, acrescenta, “pois vai diminuir as queixas de tosse, falta de ar e cansaço, vai melhorar o estado nutricional da pessoa com cancro do pulmão, vai permitir melhor tolerância aos tratamentos e ainda evitar o aparecimento de outras doenças e outros cancros.

É neste sentido que o GECP reforça o seu pedido a todos os fumadores, no sentido de procurarem “ajuda especializada para eliminar totalmente a dependência do tabaco”, prevenindo o cancro do pulmão e o desenvolvimento de outras doenças crónicas e agudas e “melhorando todos os seus parâmetros de saúde”.

ler mais

RECENTES

ler mais